fbpx
The Riders Histories
Riders-SpeedMundo Speed

Descubra os (Alegados) Salários dos Pilotos de MotoGP em 2023

Salários dos Pilotos de MotoGP em 2023. Quer saber quem são os pilotos mais bem pagos do MotoGP? Aqui no The Riders você vai descobrir os supostos salários dos astros das corridas e surpreenda-se com os números!

Salários dos Pilotos de MotoGP em 2023


🏁 Olá pessoal, saudações do The Riders! Preparados para descobrir os supostos salários dos pilotos de MotoGP? Vamos mergulhar nesse mundo cheio de adrenalina e curiosidades financeiras do esporte das duas rodas!

Os Salários dos Pilotos de Elite: O MotoGP, conhecido como um desporto de elite, movimenta milhões de euros. A curiosidade sobre os salários dos pilotos é grande, embora sejam informações confidenciais. No entanto, segundo estimativas do site Sportspayouts citadas no Racesports.nl, Marc Márquez é considerado o piloto mais bem pago.

Os Números Revelados: De acordo com os dados, o piloto que rumou para a Gresini ganhou 16 milhões de dólares da Repsol Honda no ano anterior. Esse valor supera em 11 milhões de dólares o salário do bicampeão Francesco Bagnaia (Ducati), que está em segundo lugar com cinco milhões, assim como Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha).

Leia também:

Curiosidades dos Salários: Dos 22 pilotos permanentes, pelo menos 14 terão recebido no mínimo um milhão de dólares. E entre os demais, Miguel Oliveira (CryptoDATA RNF MotoGP Team) teria recebido o salário mais alto, alcançando 750 mil dólares. Surpreendentemente, mais do que o vice-campeão Jorge Martín (Prima Pramac/Ducati), que terá recebido 675 mil dólares.

1.º Marc Márquez (Repsol Honda Team): 16 milhões de dólares/ano
2.º Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team): 5 milhões de dólares/ano
3.º Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP Team): 5 milhões de dólares/ano
4.º Maverick Viñales (Aprilia): 4 milhões de dólares/ano
5.º Johann Zarco (Prima Pramac Racing/Ducati): 4 milhões de dólares/ano
6.º Joan Mir (Repsol Honda Team): 3 milhões de dólares/ano
7.º Jack Miller (Red Bull KTM Factory Racing): 3 milhões de dólares/ano
8.º Aleix Espargaró (Aprilia): 3 milhões de dólares/ano
9.º Enea Bastianini (Ducati Lenovo Team): 2,5 milhões de dólares/ano
10.º Álex Rins (LCR Honda Castrol Team): 2,2 milhões de dólares/ano
11.º Pol Espargaró (GasGas Factory Racing Teche/KTM): 2 milhões de dólares/ano
12.º Franco Morbidelli (Monster Energy Yamaha MotoGP Team): 1 milhão de dólares/ano
13.º Álex Márquez (Gresini Racing MotoGP/Ducati): 1 milhão de dólares/ano
14.º Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing): 1 milhão de dólares/ano
15.º Miguel Oliveira (CryptoDATA RNF MotoGP Team/Aprilia): 750 mil dólares/ano
16.º Jorge Martín (Prima Pramac Racing/Ducati): 675 mil dólares/ano
17.º Takaaki Nakagami (LCR Honda Idemitsu Team): 650 mil dólares/ano
18.º Luca Marini (Mooney VR46 Racing Team/Ducati): 350 mil dólares/ano
19.º Augusto Fernández (GasGas Factory Racing Tech3/KTM): 300 mil dólares/ano
20.º Fabio Di Giannantonio (Gresini Racing MotoGP/Ducati): 300 mil dólares/ano
21.º Marco Bezzecchi (Mooney VR46 Racing Team/Ducati): 300 mil dólares/ano
22.º Raúl Fernández (CryptoDATA RNF MotoGP Team/Aprilia): 300 mil dólares/ano

Os Rookies e Seus Salários: O novato da temporada, Augusto Fernández (GasGas Tech3/KTM), foi um dos que menos recebeu – 300 mil dólares, juntamente com outros três estreantes. Esses números não incluem bônus ou patrocínios pessoais, segundo o Racesports.nl.

É importante lembrar que esses valores são alegados e não confirmados, já que os contratos e os salários são questões confidenciais. Vamos continuar acompanhando e torcendo por mais emoção e revelações no mundo das corridas de MotoGP! 🏍️✨

Continue navegando no portal The Riders e acelere com a gente! 

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades! Moto

Notícias relacionadas

Panigale V2 Black on Black

Marcelo Nunes

Ducati especial e com 234 cv chega ao Brasil pelo preço de dois Ford Mustang (e mais um Kwid)

Marcelo Nunes

Acelere na Ilha de Man.

Marcelo Nunes

Deixe um comentário