fbpx
The Riders Histories
Mundo SpeedRiders-Speed

MOTOGP, LUCA MARINI: Perdi tempo com o ÁLEX e o BRAD

MOTOGP: Luca Marini sai do fim de semana no Qatar com uma pole position e dois pódios, embora tenha sentido que hoje podia ter feito melhor, caso não tivesse perdido tanto tempo atrás de Álex Márquez e Brad Binder.

MOTOGP, LUCA MARINI (3.º): “UMA PENA PERDER TANTO TEMPO COM O ÁLEX E O BRAD”

“Fim de semana fantástico que eu precisava, foi uma pena ter perdido tanto tempo com o Álex e o Brad, acho que tinha ritmo para ficar com o Fabio e o Pecco e talvez tentar ganhar no final da corrida. Mas é um pódio e um grande fim de semana, obrigado à minha equipa. Temos mais um fim de semana, vamos tentar dar o nosso melhor em Valência”, disse.

FOTO DIVULGAÇÃO MOTOGP

MOTOGP, FRANCO MORBIDELLI (15.º): “A DECISÃO DOS COMISSÁRIOS É A GOZAR COMIGO”

Franco Morbidelli, para além da qualificação e da corrida sprint de ontem, teve uma altercação com Aleix Espargaró na sessão de treinos livres, pela qual o espanhol da Aprilia foi penalizado. O piloto da Yamaha explica o que aconteceu e critica os comissários pela penalização aplicada ao homem da Aprilia.

“O que aconteceu é que estávamos a fazer uma volta e o Márquez caiu na curva 2, mostraram bandeiras amarelas, o Martín abrandou à minha frente e eu abrandei também. Quando chegámos à curva 4, o Aleix ultrapassou-me, depois queria recuperar a minha posição e voltei a ultrapassá-lo na curva 5. Na curva 6, ele mergulhou e quase que nos fez cair. A sua reação foi parva, eu estava a dizer para ele se acalmar e ele teve outra grande reação. Não é algo bom de ver, mas sigo em frente”, disse.

“Acho que a decisão dos comissários é a gozar comigo, vão colocá-lo ao meu lado amanhã, é a brincar e não estamos a brincar. Não é algo inteligente de se fazer”, referiu.

MOTO2, QATAR, CORRIDA: DOMÍNIO IMPERIAL DE ALDEGUER EM LOSAIL

Nem migalhas sobraram para os adversários do voo rasante de Fermín Aldeguer no renovado Circuito Internacional de Losail. Manuel Gonzalez e Aron Canet foram apenas a sombra que nunca ultrapassa a silhueta de um espanhol dominante, já com os olhos e pensamento postos numa possível promoção ao MotoGP em 2024 na Mooney VR46.

FOTO DIVULGAÇÃO MOTOGP

Fermín Aldeguer (GT Trevisan SpeedUp) foi o vencedor do Grande Prémio do Qatar de Moto2. O espanhol cumpriu a distância em 35:32.117 minutos, batendo Manuel Gonzalez (Correos Prepago Yamaha VR46 Team) por 2.64 segundos, com Aron Canet (Pons Wegow Los40) em terceiro, a 2.65 segundos.

Com 26 graus de temperatura no ar e os holofotes com poderosos LED’s a iluminar o Circuito Internacional de Losail, o Grande Prémio do Qatar prometia uma corrida animada de Moto2. Semáforo desligado e o poleman Joe Roberts fez o holeshot e completou a primeira volta na posição de líder. Colocado ao americano da Italtrans vinha um grupo compacto, constituído por Aron Canet, Jake Dixon, Manuel Gonzalez e Tony Arbolino, com a Fantic de Celestino Vietti a fechar os seis primeiros. O campeão do mundo Pedro Acosta partiu mal, na cauda dos dez primeiros.

Após cinco voltas o novo líder era Canet, na frente de um trio formado por Roberts, Dixon e Gonzalez; mais atrás vinham Fermín Aldeguer e Tony Arbolino. Vietti perdera entretanto oito posições , baixando a P10, um lugar à frente de Acosta.  Após as primeiras sete voltas esta posições mantinham-se inalteradas., mas logo a seguir Aldeguer subia a terceiro, atrás do líder Canet e do britânico Jake Dixon. Pedro Acosta subia então a P9, na frente dos italianos Vietti e Arbolino, subindo depois o piloto de Murcia a oitavo. Havia também já um novo líder, uma vez que Aldeguer superava Canet que descia a segundo; Gonzalez, Dixon e Alonso Lopez completavam o Top 6; Acosta estava em perseguição de Somkiat Chantra para ‘roubar’ o sétimo lugar ao tailandês.

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades!

A 8 voltas do final Fermín Aldeguer liderava cada vez mais isolado, já com 1.3 segundos de vantagem sobre Aron Canet, que defendia o segundo lugar dos ataques de Manuel Gonzalez e Jake Dixon. Acosta por sua vez não conseguia desalojar Chantra de P7, que tinha à sua frente Ai Ogura e Alonso Lopez. Celestino Vietti e Joe Roberts fechavam os dez primeiros. A 5 voltas da bandeira axadrezada, Aldeguer parecia estar no caminho para uma vitória tranquila, então já com uma vantagem de 2.45 segundos para o segundo classificado. Esse era agora o piloto da Academia VR46 Yamaha Manuel Gonzalez, que tinha tirado o segundo posto a Canet, que descera a terceiro. Pedro Acosta entretanto baixa duas posições, para nono.

Faltavam apenas duas voltas e o supersónico Aldeguer – apontado como substituito de Luca Marini caso se confirme a entrada do italiano na Repsol Honda – voava literalmente para o triunfo que se viria a confirmar. Gonzalez e Canet confirmavam os dois últimos lugares de pódio e Ai Ogura surpreendia Dixon a poucos metros do final para chegar ao quarto lugar. Vietti, Chantra, Acosta, Lopez e Arbolino fechavam o Top 10 no final.

MOTO3, JAUME MASIA (1.º): “AGRADECER À MINHA EQUIPA POR ACREDITAR EM MIM”

FOTO DIVULGAÇÃO MOTOGP

Jaume Masia sagrou-se hoje campeão do mundo de Moto3, após vencer o Grande Prémio do Qatar e beneficiar do sexto posto de Ayumu Sasaki. O espanhol estava emocionado depois do triunfo e não conseguiu dizer muitas palavras.

“O que dizer? Quero agradecer à minha equipa por acreditar em mim. Somos campeões do mundo, estou muito feliz”, disse.

MOTO3, QATAR, CORRIDA: JAUME MASIA VENCE E É O NOVO CAMPEÃO DO MUNDO

Jaume Masia (Leopard Racing) foi o vencedor do Grande Prémio do Qatar de Moto3. O espanhol cumpriu a distância em 33:50.694 minutos, batendo David Alonso (GASGAS Aspar Team) por 68 milésimos, com Deniz Öncü (Red Bull KTM Ajo) em terceiro, a 163 milésimos. Com este resultado, Masia conquista o título de campeão do mundo de Moto3.

2023 Leopard Racing Team during 2023 Season of World Motorcycle Championship 2023 in Bugatti Circuit, Le Mans, France © 2023 mirco lazzari mircolazzari@yahoo.it

A luta pelo título era o grande ponto de interesse desta corrida, com Ayumu Sasaki a ser aquele que teria hipóteses mais realistas de adiar a festa do espanhol, que saía de décimo, com Sasaki em quarto. A verdade é que ambos estiveram muitas vezes em luta, com Masia a ter recebido inclusivamente um aviso de conduta pela forma como se defendeu do japonês por duas voltas. Ambos fizeram praticamente tudo bem, até que Sasaki, a cerca de três voltas do final, tentou uma manobra no espanhol, mas alargou demasiado e depois disso perdeu várias posições, tendo demasiado recuperar o que tinha perdido. Sasaki terminou em sexto, mas, com a vitória de Masia, precisava de terminar no top-4 para adiar a decisão.

Leia também:

Öncü também merece um destaque positivo, tendo terminado no pódio apesar de quase ter estragado a sua corrida logo no início. O turco arrancou bem e saltou logo para a frente, mas isso também se deveu a uma larga partida, pela qual foi penalizado com duas long laps, que o atiraram para o fundo do pelotão quando foram cumpridas. Ainda assim, conseguiu recuperar até ao terceiro lugar, a menos de duas décimas do vencedor, atrás de David Alonso.

Numa corrida típica de Moto3, com muitos pilotos separados por poucos segundos, Riccardo Rossi acabou no quarto lugar, com Vicente Pérez na quinta posição. Sasaki não conseguiu melhor do que o sexto posto, à frente de Matteo Bertelle, com Kaito Toba, Daniel Holgado (que partiu da pole position, mas quebrou no final) e Collin Veijer a fecharem o top-10, sendo que também pontuaram Romano Fenati, David Muñoz, Joel Kelso, Taiyo Furusato e Ivan Ortolá.

MOTOGP, RIVOLA SOBRE O GESTO DE ALEIX ESPARGARÓ: “A PENALIZAÇÃO É MUITO JUSTA”

Apenas Vinales com o sexto lugar salvou o balanço da Aprilia no sábado, após a penalização de Aleix Espargarò pela sua ‘chapada’ a Franco Morbidelli em plena pista, e pelas lesõs do próprio espanhol e de Miguel Oliveira.

Depois do sucedido com Morbidelli, Aleix Espargarò foi penalizado em seis posições da grelha e multado em 10 mil euros . Rivola declarou:  “As más ações são punidas com cartão vermelho, portanto, a penalização é muito justa. Não concordamos com este tipo de atitude porque é um mau exemplo para os jovens que se aproximam do motociclismo. Acho que dormir sobre isso só fará bem ao Aleix”.

Sobre quando Espargarò irá cumprir a penalização, o CEO da Aprilia considera que o piloto de Granollers “acabará por cumpri-la em Valência se for declarado inapto para a corrida. Vimos Aleix correr em Silverstone no ano passado, apesar da lesão no tornozelo, e não ficaria surpreso se ele conseguisse fazer a corrida de hoje.” Concluiu.

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades!

Moto

Notícias relacionadas

Conheça a Damon Colossus e Ultraviolette F77

Marcelo Nunes

DUCATI PANIGALE V4S, PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Marcelo Nunes

GP da Índia: Muitos problemas com vistos, incluindo Marc Márquez

Marcelo Nunes

Deixe um comentário