The Riders Histories
Notícias

Veja cinco motos de entrada 2020 no Brasil que custam até 10 mil reais

Elas são fácies de pilotar, possuem preço mais acessível, algumas são mais “secas” quando se trata de atributos técnicos, outras um pouco mais completas, equipando até mesmo painel digital com indicador de marchas, mas todas têm um conceito em comum: são motos de baixo custo.

TOP 5 Motos de Entrada 2020 até R$ 10 mil

  • 1) Honda Pop 110i (R$ 6.706)
  • 2) Honda Biz 110i (R$ 8.476)
  • 3) Honda CG 160 Start (R$ 9.444)
  • 4) Yamaha Factor 125i (R$ 9.790)
  • 5) Haojue DK 150 (R$ 9.950)
  • Extra) Chopper Road 150 (R$ 8.980) e Dafra Horizon 150 (R$ 9.950)

1) Honda Pop 110i (R$ 6.706)

A nossa lista, que será organizada da opção mais barata até a mais cara, começando com uma moto que pode ser considerada a “Rainha do Norte e Nordeste”, estou falando da Pop 110i.

Com preço sugerido de pouco mais de R$ 6.700 (R$ 6.706) ela é uma das motos mais baratas à venda no Brasil, e a mais barata do line-up da Honda por aqui.

Quase desconhecida pelo povo do Sul e com uma onda recente de crescimento no Sudeste do país, quase todas as Pop 110i estão concentradas entre a regiões Norte (70%) e Nordeste (cerca de 20%).

Lançada em 2006, a Honda Pop foi criada usando como base a antiga C100 Biz e seu objetivo sempre foi ser uma moto robusta, barata e econômica. Não é à toa que a média do seu consumo de combustível passa dos 40 km/l.

Para alcançar tal marca a Pop 110i 2020 une seu pequeno motor de 109 cc com injeção eletrônica de combustível ao baixo peso total da moto. São quase 8 cavalos (7,9 cv) de potência para empurrar os apenas 87 kg a seco.

Aliás, essa combinação acaba tornando ela uma boa moto de entrada para quem está iniciando.

A Pop 110i é muito leve, facilitando manobrar ela parada para quem ainda não tem muita familiaridade com motos, e também não assusta ao acelerar, com uma potência mais baixa, mais fácil de controlar.

Algo que pode confundir os menos experientes é o seu câmbio. Com 4 marchas, ele exige que o piloto acione o manete de embreagem a cada troca e também necessita que as marchas sejam “retornadas” uma a uma até chegar a ponto morto/neutro para religar a moto ou para engatar a primeira marcha e sair andando novamente.

O estilo visual não é o forte da Pop 110i, pois seu projeto visa o mínimo possível de peças desnecessárias para seu funcionamento, deixando ela o mais barata possível. Mas, recentemente a Honda adicionou alguns pequenos detalhes para deixar ela um pouco mais bonita, como a versão branca com banco vermelho e detalhes em relevo.

2) Honda Biz 110i (R$ 8.476)

A segunda da lista é a principal moto de entrada no país para quem está começando, seja por ser uma das mais vendidas do Brasil, pelo seu design ou pela sua comodidade e simplicidade ao pilotar.

É claro que estamos falando da Honda Biz 110i. Com preço sugerido de cerca de R$ 8,5 mil (R$ 8.476) a Biz traz porte de moto com suas rodas grandes, 17 polegadas na frente e 14 atrás, além de um câmbio semiautomático de 4 marchas do tipo rotativo.

Ou seja, ao contrário da Pop, com a Biz o piloto não precisa acionar nenhuma embreagem com a mão e pode pular da marcha que estiver até a primeira apenas movimentando o câmbio no pé esquerdo.

Outra facilidade para os novatos no mundo de duas rodas é o vão que fica entre as pernas do piloto. Ele é bem baixo e permite que pessoas dos mais variados tipos de estatura possam montar na moto sem dificuldades.

Já no quesito comodidade, umas funcionalidades mais queridinhas da Honda Biz é o seu espaço embaixo do banco.

Para uma moto de entrada as pessoas buscam mais atributos de praticidade do que exatamente diversão e potência em cima da moto, por isso a Biz traz o consagrado espaço abaixo do banco.

Ele é perfeito para transportar bolsas e mochilas durante a pilotagem e ótimo para guardar o capacete quando estiver chegado ao seu destino, quando a moto estiver parada seja em casa, no trabalho ou faculdade, por exemplo.

No quesito estilo a Biz também entrega uma moto decente para quem está iniciando mas quer um visual um pouco mais rebuscado.

Além disso ela traz o sistema de frenagem combinada, indicado para quem está iniciando e não tem a prática certa para frear a moto, vem com partida elétrica e ainda equipa uma tomada de 12 volts embaixo do banco para carregar a bateria do celular.

3) Honda CG 160 Start (R$ 9.444)

No meio da nossa lista temos a moto mais conhecida e mais vendida do Brasil, a Honda CG, que acabou de comemorar 25 anos em que está à venda por aqui.

No Top 1 das motos mais vendidas de 2019, a CG 160 é a moto mais comum e mais indicada para os diversos usos do dia a dia nos centros urbanos. Entre os principais atributos da CG estão seu baixo custo de manutenção, peças que são encontradas em qualquer loja de motos e sua economia de combustível.

Apesar de não ter as facilidades da Biz como câmbio semiautomático, espaço embaixo do banco e vão baixo para montar na moto, a CG tem quase o dobro de potência (14,9 cv contra 8,3 cv) e alcança velocidades superiores.

Geralmente ela também é o tipo de motocicleta utilizada nos centros de formação de condutores, mais conhecidos como autoescola, por isso são mais familiarizadas, sendo em muitos casos o primeiro contato de um futuro piloto com uma moto.

Com preço sugerido de R$ 9.444,00 a CG 160 Start acaba se tornando uma das primeiras motos de muita gente.

4) Yamaha Factor 125i (R$ 9.790)

Outra boa opção, e em quarto lugar na nossa lista ordenada do menor para o maior preço, é a Yamaha Factor 125i.

Com preço sugerido de R$ 9.790,00 ela é indicada para o mesmo público de entrada da CG, mas apesar dela ser “menor” que a moto da Honda, a Factor 125i é mais completa.

A moto da Yamaha traz atributos exclusivos e melhores que a CG, como o freio a disco na dianteira, por exemplo, inexistente na CG. Outro item são as rodas de liga-leve da Factor, que não exigem manutenções como as rodas raiadas e ainda podem usar pneus sem câmara, mais seguros caso acabem furando.

No visual a moto da Yamaha também acaba chamando mais atenção. Suas linhas levemente mais anguladas que na concorrente e a carenagem pontiaguda encaixada nas laterais do tanque dão um ar mais encorpado para uma moto de entrada.

Com motor de 125 cilindradas, apesar de ser bem mais fraca que a CG (são 11 cv da Factor contra 14,9 cv da CG), ela acaba se tornando uma boa opção.

A Factor 125 também oferece a ‘montada’ de uma moto tradicional, mas apresenta o consumo de combustível de uma motoneta, passando dos 40 km/l em alguns testes especializados.

5) Haojue DK 150 (R$ 9.950)

A quinta moto da nossa lista está ali, beirando o limite dos R$ 10 mil no preço sugerido, traz alguns aspectos único e é de uma marca mais nova, que está chegando aos poucos e ganhando seu espaço no mercado.

Estou falando da Haojue com a sua DK 150, uma motocicleta de entrada que traz até indicador de marchas em seu painel digital completo.

Com aquele design repleto de linhas e grafismos mais agressivos típicos das motos chinesas, a DK 150 vendeu mais de 5.500 unidades em 2019 e vem angariando cada vez mais fãs pelo Brasil.

Com a mesma proposta que CG e Factor, a Haojue destaca que seu motor monocilíndrico de 149 cilindradas e que gera 12 cavalos de potência é capaz de alcançar o impressionante consumo de combustível de 48 km/l.

Assim como a Factor, ela sai na frente da CG ao trazer freio a disco ao menos na roda dianteira. Mas isso também acaba fazendo seu preço ser mais alto. Outro destaque interessante do DK 150 é que o modelo já equipa de fábrica pneus Pirelli sem câmara.

Com sistema de freios combinados, ela segue a mesma tendência das duas últimas motos faladas aqui, sendo feita para rodar no dia a dia das cidades e seu preço sugerido é de R$ 9.950,00.

Custom de entrada 2020 no Brasil

Uma, ou melhor, duas motos extras que merecem ao menos uma menção nessa lista de motos de entrada até R$ 10 mil são a Haojue Chopper Road 150 e a Dafra Horizon 150.

Duas motos de entrada para a categoria Custom, cada vez mais isolada oferecendo somente motos grande no país, elas podem se tornar ótimas opções para quem está iniciando no mundo de duas rodas e quer seguir mais o estilo “motoqueiros selvagens”.

A Haojue Chopper Road 150 tem preço sugerido de R$ 8.980,00 e traz todo aquele estilo clássico de pilotagem com guidão mais alto, comandos dos pés levemente mais avançados w visual “das antiga”.

Já a Dafra Horizon 150 segue a mesma receita, mas tem uma pegada meio “Harley-Davidson” em seu visual, lembrando de longe as motos da famosa fabricante de motos Custom dos EUA.

Notícias relacionadas

Honda Africa Twin tem recall

The Riders

Honda CB 500X vai ficar muito aventureira

The Riders

As motos que mais se desvalorizaram após um ano de uso

The Riders