The Riders Histories
Riders Trail

Voge 900 DSX Vs. BMW F 900 GS: Qual a melhor opção?

Voge 900DSX

A chegada da nova Voge 900 DSX ao segmento médio das motos de aventura está a mudar numa categoria onde a sigla GS ainda tem um enorme peso. Analisemos pois as diferenças entre a Voge 900DSX e a BMW F 900 GS, por forma a facilitar a sua escolha.

A chegada da nova Voge 900DSX ao mercado em 2024 foi um avanço para a empresa asiática no movimentado segmento de aventura . Para isso, utiliza a técnica de oferecer uma ampla gama de equipamentos de série, juntamente com uma mecânica comprovada, compartilhada com alguns dos modelos BMW anteriores.

Por seu lado, a empresa alemã regressa sozinha em 2024, apresentando inúmeras inovações tecnológicas na sua nova F 900 GS, elevando-a a todos os níveis. Em suma, mantendo aquela aura de produto premium que os seguidores da marca tanto apreciam.

O mesmo conceito para filosofias diferentes

Voge 900 DSX

Voge 900 DSX
Voge 900 DSX

Com a apresentação da nova 900 DSX, a Voge faz uma afirmação poderosa de que pode ir mais além. Mas também o fazem, oferecendo condições de lançamento praticamente imbatíveis por qualquer um dos seus rivais.

Com um preço de lançamento de 8.888 euros (mais uma promoção de malas e top case em alumínio originais “by Loboo” por 898€ válida até ao dia 31 de maio), pode muito bem ser uma das motos mais vendidas em 2024.

Motor bicilíndrico em linha de 895 cc; Potência 95 CV ; Peso a seco 215 kg;  PVPR  8.888€

Cores: Lime Green, Aviator Blue, Black Knight

Voge 900DSX
Voge 900 DSX

BMW F 900 GS

Do outro lado encontramos a nova F 900 GS, que sem dúvida não consegue competir com a chinesa em preço, mas que em troca nos oferece mais de quatro décadas de tradição sob a sigla GS. Se a isto somarmos o bom trabalho dos alemães, é evidente que continuará a usufruir de um amplo público no segmento de aventura, como tem acontecido até agora.

Leia também:

Motor bicilíndrico em linha de 895 cc; Potência: 105 CV;  Peso com líquidos 219 kg; PVPR  13.950€

Cores: Preto Storm, Amarelo São Paulo, Azul e Vermelho GS Trophy

O mais importante na hora de adquirir uma moto deste estilo é que ela atenda às nossas expectativas iniciais e neste aspecto a nova Voge 900 DSX provavelmente as supera em todos os sentidos. Nem um bocado foi poupado em termos de equipamentos e acabamentos, que, em parte, não correspondem ao preço inicial a partir do qual se inicia. Isso significa que a Voge deu tudo de si na integração da nova 900 DSX 2024 no mercado .

Na componente ciclística a Voge está equipada com uma suspensão totalmente ajustável assinada pela Kayaba, enquanto na frenagem é a Brembo quem faz a sua parte para travar um conjunto com um peso a seco (sem líquidos e combustível) de 212 kg.

Voge 900 DSX
Voge 900 DSX

O conjunto repousa sobre rodas radiais de 21 e 17 polegadas, dianteiras e traseiras, respectivamente. Estas são calçadas com pneus mistos Pirelli Scorpion Rally 90/90-21 e 150/70-17.

Voge 900 DSX
Voge 900 DSX

Se falarmos da secção mecânica encontramos o conhecido bicilíndrico em linha de 895 cc , que também equipa a nova geração BMW F. O motor DOHC refrigerado a água, com quatro válvulas por cilindro e intervalo de ignição de 270/450 graus, oferece 94,8 CV a 8.250 rpm e um binário declarado de 95 Nm a 6.250 rpm, anunciando uma velocidade máxima de 200 Km/h .

A nova F 900 GS apresenta inúmeras inovações poderosas com qualidades off-road melhoradas, combinadas com uma drástica redução de peso de 14 kg em comparação com o modelo anterior. O quadro de aço integra o motor como elemento de sustentação e funciona em conjunto com um sistema de suspensão Showa, com garfo dianteiro invertido e monoamortecedor traseiro. Tal como na 900DSX, é a Brembo quem faz a travagem, deixando o equipamento ancorado em pneus radiais 2,15 x 21″ e 4,25 x 17″, calçados com pneus 90/90 R21 e 150/70 R17.

Com 226 quilogramas em ordem de marcha e com o depósito cheio, a nova F 900 GS é movida por um bicilíndrico em linha de 895 cc, o mesmo que da sua rival, embora neste caso com a potência ‘esticada’ para 105 cv a 8.500 rpm e um binário declarado 93 Nm a 6.750rpm. A marca anuncia um consumo médio de 4,4 litros aos 100 quilómetros e uma velocidade máxima superior a 200 km/h.

Questão de prioridade e disponibilidade

Uma vez explicadas as principais características de ambos os modelos, começa-se a questionar qual destas duas motos pode ser a nossa companheira ideal. Se formos pelos números, a 900DSX é, em termos gerais, provavelmente a nova referência do setor.

Não existe outro modelo que, com equipamentos e funcionalidades iguais, ofereça o mesmo por menos dinheiro. Porém, nem tudo o que importa está nos números frios e haverá quem prefira a montagem alemã por aquele halo de exclusividade, além do bom acabamento, qualidades ou confiabilidade que envolve todos os produtos BMW.

É por isso que tudo se resume a uma simples questão de prioridades. Se assumirmos que as nossas economias nos permitem aceder à moto chinesa ou alemã. Depois entram em jogo os gostos pessoais em termos de estética, acabamento ou ergonomia. E isso não se discute!

Continue navegando no portal The Riders e acelere com a gente!

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades! 

Notícias relacionadas

Fernando Juruna disputa na França o 6Days, maior evento de Enduro

Marcelo Nunes

Conheça detalhes da Suzuki V-Strom 2023 com nova versão

Marcelo Nunes

Scoop: As primeiras fotos da Moto Morini X-Cape 1200

Marcelo Nunes

Deixe um comentário