fbpx
The Riders Histories
Mundo SpeedRiders-Speed

Yamaha vê Honda como ameaça e reconhece: “Só moto competitiva garante Quartararo”

Lin Jarvis sabe que, se Yamaha não melhorar desempenho de seu equipamento, Fabio Quartararo pode se transferir para Honda no final do próximo ano

Após Fabio Quartararo afirmar de forma direta que seu futuro na Yamaha dependerá do teste que vai acontecer daqui a um mês em Misano, o diretor-executivo da marca, Lin Jarvis, reconheceu que corre sério risco de perder o campeão mundial de 2021. E quem surge como forte ameaça nessa briga é a Honda.

A atual falta de competitividade da M1 fez o francês dar declarações bastante intensas sobre a equipe japonesa nas últimas semanas. Em setembro, Quartararo pilotará pela primeira vez a moto de 2024, e caso as expectativas não sejam atendidas, já avisou que estará pronto para se colocar no mercado de transferências quando seu contrato atual expirar no final do próximo ano.

“Não gosto de usar a palavra ‘amedrontado’”, disse Jarvis. “Mas, estou ciente que um dos riscos vem da Honda, pois vão querer um piloto de ponta e o Fabio é um deles. Para mantê-lo, precisaremos ter uma moto competitiva. Realmente precisamos demonstrar com fatos que somos os melhores”, continuou.

‘El Diablo’, no entanto, não está mais disposto a confiar nas promessas verbais da casa de Iwata, como fez na ocasião da renovação anterior, e quer ver em primeira mão se houve progresso. O que é certo, enquanto isso, é que, em 2024, Quartararo terá um novo companheiro de equipe: Álex Rins, que vai substituir Franco Morbidelli.

“Álex [Rins] tem um talento natural e às vezes é capaz de coisas sensacionais. Neste período de domínio da Ducati, foi um dos poucos a vencer com outro time. Ele tem uma atitude positiva e experiência com o motor de quatro cilindros em linha. E realmente queria entrar para o time”, descreveu o dirigente.

Jarvis ainda surpreendeu quando mencionou o nome de quem seria a possível alternativa a Rins. “Sim, tínhamos um plano B. Tony Arbolino está amadurecendo bem e poderia ser uma opção para o futuro, mas não queríamos um estreante. Este não é o momento. Precisamos de um piloto que traga experiência. Não sabemos quem entre Morbidelli e Rins será o melhor, no entanto. No final, escolher um piloto é sempre um risco. Não há garantia. Mas era hora de fazer uma mudança na equipe e também é uma boa solução para o Franky, que terá novo estímulo”, finalizou Jarvis.

fonte:https://www.grandepremio.com.br/motogp/noticias/yamaha-ve-honda-ameaca-reconhece-moto-competitiva-garante-fabio-quartararo/

Notícias relacionadas

Piloto é demitido após apertar o freio de rival a 200 km/h na MotoGP

Marcelo Nunes

Explorando a Zontes 703RR: Uma Jornada Alucinante

Marcelo Nunes

MotoGP pode retornar com concessões para ajudar Honda e Yamaha a superarem crise

Marcelo Nunes

Deixe um comentário