fbpx
The Riders Histories
Notícias

Moto paga pedágio? Regras para rodovias em 2023

Em boa parte do país, os pedágios são uma constante no tráfego urbano. Assim, é fundamental que os motoristas preparem o bolso e se planejem para não ter problemas no momento de rodar pela rodovia. E uma pergunta importante é: moto paga pedágio? Confira a resposta correta!

Entenda o funcionamento dos pedágios

Os pedágios em território nacional são gerenciados por empresas concessionárias previamente autorizadas pelo governo para explorar determinadas rodovias. Nesse sentido, são responsábeis pela manutenção e pela melhoria das condições físicas da estrada.

Por conta disso, as concessionárias realizam cobrança taxas dos motoristas que trafegam na rodovia, o que é chamado de pedágio. Assim, os valores são definidos em contrato pela concessionária e pelo governo, variando os preços de acordo com um cálculo prévio.

O preço depende dos custos de construção, manutenção e operação da rodovia, bem como a expectativa de lucro da concessionária. Além disso, o valor do pedágio depende do tipo de veículo e até da região do país.

Moto paga pedágio em 2023?

A resposta é: depende. Por mais que haja certos movimentos em prol da isenção para todo o território nacional, a cobrança de pedágio para motos depende de uma escolha da própria concessionária. Portanto, sim, é provável que a moto tenha que pagar o pedágio.

Porém, no geral, o valor da moto é abaixo dos valores de carros e menos ainda do que caminhões. Isso porque a cobrança da taxa depende do potencial de desgaste que o veículo exerce sobre o asfalto. Assim, é comum que o valor da moto seja a metade do carro.

Rodovias com isenção de pedágio para moto

Muitas rodovias brasileiras já não cobram o pedágio para moto por conta própria, isentando o piloto da motocicleta dos valores pagos. Em termos do poder público, a Portaria nº 104 de 2021 definiu a isenção do pedágio para moto em algumas estradas brasileiras; veja:

  • BR-116 e BR-101 nas regiões de SP e RJ;
  • BR-381 e BR- 262 nas regiões de MG e ES;
  • BR-116/465/493 nas regiões de MG e RJ;
  • Lotes 1 a 6 das Rodovias Integradas do Paraná;
  • Lotes em estruturação pelo BNDES;
  • BR-040/495 nas regiões de MG e RJ;
  • BR-040;
  • BR-158/155 nas regiões de MT e PA;
  • BR-135/316 na região do Maranhão.

Fora das próprias rodovias que não cobram e dos trechos definidos pela Portaria, o motociclista não tem como solicitar a isenção do pedágio. Mesmo que passe constantemente pelo trecho, o cidadão precisa se submeter às regras definidas pela concessionária.

Como pagar o pedágio de moto?

Até há pouco tempo, os pedágios só aceitavam pagamento em dinheiro. E essa ainda é uma constante em boa parte do país. Porém, em certas rodovias, as concessionárias já aceitam o pagamento por cartão de crédito ou débito, e mais raramente ainda, pelo PIX.

O tradicional ‘Sem Parar’ e outras marcas parecidas eliminam a cobrança na hora e fazem uma taxa mensal. Nos últimos tempos, algumas marcas têm apostado no ‘Sem Parar’ para motos. Os produtos são mais concentrados em aplicativos que pagam via bluetooth ao passar perto do local de cobrança.

Além disso, uma tendência para os próximos anos é o pagamento por trecho. Ao invés de todo mundo pagar o valor cheio, as novas tecnologias fazem a cobrança de acordo com o trecho percorrido por tal placa. Porém, ainda precisa de melhoria na infraestrutura para a ampliação dos projetos.

Fonte original:https://motos2023.com.br/moto-paga-pedagio/

Inscreva-se em nosso Canal no YouTube: The Riders e conheça histórias incríveis do mundo biker!

Notícias relacionadas

Honda Gold Wing: será off-road?

Marcelo Nunes

AwtoDias Moto: novo serviço de aluguel de elétricas por aplicativo

Marcelo Nunes

Honda CB350: Edições Legacy e New Hue

Marcelo Nunes

Deixe um comentário