fbpx
The Riders Histories
Notícias

Steve McQueen, o mito do cinema que amava motocicletas

Steve McQueen não teve exatamente uma infância fácil: seu pai morreu em um acidente de avião (ele era piloto dublê) logo após seu nascimento e sua mãe o abandonou quando ele era bebê. O pequeno Steve foi criado por seu tio no Missouri e quando adolescente viveu em um mundo de gangues e crime. Depois vieram o exército, os estudos como ator, os primeiros filmes e, um pouco mais tarde, o sucesso: títulos como “ Os Sete Magníficos”, “A Grande Fuga”, “Bullit”, “O Segredo de Thomas Crown”, “Le Mans”, “Papillon”, “The Burning Colossus” , etc., permanecerão para sempre na história do cinema.

Mas McQueen tinha outra faceta, tão ou mais importante para ele que a de ator: a de piloto, com uma enorme paixão por tudo que tivesse motor. Steve foi um excelente piloto, que competiu em corridas como a Baja 1000 na Califórnia, ou no enduro Six Days , dentro da equipe oficial norte-americana. Também correu no Mint 400 ou no GP de Elsinore , sempre fora de estrada. “Não tenho certeza se sou um ator que compete ou um piloto que atua ” , disse ele.

McQueen competiu no enduro Six Days pela seleção dos EUA.

Nos carros, Steve disputou, entre outras corridas, as 12 Horas de Sebring , terminando em segundo. Um de seus filmes mais famosos é  “Le Mans” , onde o ator interpreta o piloto da equipe oficial da Porsche, Michael Delaney, que participa das 24 Horas: “Correr é viver… tudo antes e depois é esperar” , diz Delaney- McQueen no filme.

Sentado no Porsche 917K durante as filmagens de ‘Le Mans’.

Em  “Bullit” , a perseguição que realiza ao volante de um Ford Mustang é considerada a melhor da história do cinema.

McQueen não gostou de ser dublado em cenas de ação. Sempre muito em forma, ele fazia todas as que eram feitas em carro ou moto, e é o próprio McQueen quem dirige a moto que rouba de um soldado alemão em “A Grande Fuga” – uma Triumph camuflada de motocicleta alemã – exceto no famoso salto da cerca, em que o diretor não quis arriscar que o ator se machucasse e foi dublado por um dublê (Bud Ekins), mas fora essa cena, nas demais é o próprio ator americano quem dirige a motocicleta.

A famosa cena de ‘The Great Escape’.

Nos últimos anos dedicou-se a colecionar motocicletas: Harley-Davidson, Indian, Husqvarna, Brough Superior, Ace, Honda, Triumph, etc. conseguindo reunir joias reais e também carros colecionados. Financiou o documentário sobre motos “On Any Sunday” , no qual é protagonista de diversas cenas. Grande fã da Indian e da Triumph, em 2012 esta última dedicou-lhe uma edição especial da  Bonneville .

Com uma vida intensa e por vezes tortuosa, Steve McQueen era um personagem que jogava, fumava (às vezes maconha) e bebia. Em 1980, o câncer de pulmão o matou aos 50 anos. «Atacar a vida. “ De qualquer forma, isso vai acabar te matando ”, disse o ator-piloto.

Notícias relacionadas

30º aniversário da Monster: é a primeira novidade da Ducati para 2024

Marcelo Nunes

Kawasaki Vulcan S 650 lidera vendas entre as custom

Marcelo Nunes

Honda CB190X: Lançamento da Nova Moto Aventureira – Será que chega ao Brasil?

Marcelo Nunes

Deixe um comentário