fbpx
The Riders Histories
Riders Elétricas

Transformação Incrível: Moto Clássica de 1955 Vira Elétrica e Une Passado e Presente

Após uma enxurrada de lançamentos, inovações e boatos no universo das motos elétricas, você pode acreditar que já viu de tudo. No entanto, o mundo das customizações continua a nos surpreender, dando vida a criações verdadeiramente notáveis e incomuns. Um exemplo disso é o projeto extraordinário que você está prestes a descobrir, onde uma moto de 1955 é transformada em uma maravilha elétrica que conecta a história ao moderno de forma única!

Apresentando uma Moto Elétrica Personalizada!

O renomado artista alemão Jürgen Becker embarcou em uma jornada extraordinária, escolhendo uma Minsk M1A de 1955 como a tela para o seu projeto inovador. Essa moto carrega uma história cativante como a primeira cópia russa (posteriormente bielorrussa) da icônica DKW RT 125 alemã. O que torna ainda mais intrigante é que essa moto foi parte das reparações recebidas pela Alemanha após a Segunda Guerra Mundial.

Esta unidade M1A eventualmente encontrou o seu caminho até Colônia, Alemanha, sob circunstâncias peculiares. Lá, nas mãos habilidosas de uma equipe audaciosa, o seu motor original de dois tempos e monocilíndrico foi substituído… por um motor elétrico! Montado no lado direito da roda traseira, esse propulsor único apresenta uma transmissão final curta por meio de corrente.

O coração dessa transformação é um motor elétrico Revolt RV 120, pesando cerca de 4 quilogramas. Com um potencial elétrico que varia de aproximadamente 7 cavalos de potência contínua a um pico de quase 14 cavalos, esse motor entrega um torque abundante desde o momento em que é acionado, impulsionando a moto a velocidades próximas de 100 km/h.

Uma Homenagem ao Álbum de Jimi Hendrix

Apesar dos quase 70 anos de idade, o chassi e a carroceria da Minsk M1A, incluindo o garfo telescópico, a traseira rígida e o selim solo suspenso, permanecem fiéis à sua glória passada. As rodas raiadas de 19 polegadas apresentam freios a tambor, capturando a essência do seu design original.

Entretanto, quase nada resta dos para-lamas generosos de outrora. Isso incentivou o fabricante de metal e artista Norbert Büsch a criar uma carcaça elegante em torno do motor elétrico, combinando perfeitamente com outros componentes que exibem a pátina das décadas passadas.

Para alimentar essa criação eletrizante, Becker e sua equipe integraram uma bateria de íons de lítio com capacidade total de 45 Ah. Elementos modernos de destaque incluem o velocímetro Daytona, com iluminação azulada, e o indicador de bateria embutido no topo do antigo tanque de combustível.

Além disso, a eletrônica para carregar e descarregar as células da bateria agora reside dentro do tanque. E para um toque de singularidade, a conexão plug-in entre a unidade de controle e a bateria foi retirada de uma guitarra elétrica Fender Stratocaster.

Por fim, Becker faz uma última referência ao mundo das guitarras ao batizar a sua obra elétrica com o nome de um álbum icônico de Jimi Hendrix do final dos anos 1960: “Electric Ladyland”.

No cenário em constante evolução da mobilidade elétrica, a transformação de uma moto clássica de 1955 em uma maravilha elétrica ousada é uma prova de inovação, criatividade e uma harmoniosa conexão entre o passado e o presente. Esse projeto notável redefine os limites do que é possível no universo das customizações elétricas.

Inscreva-se em nosso Canal no YouTube: The Riders e conheça histórias incríveis do mundo biker!

fonte:https://aglomerado.digital/moto-classica-vira-eletrica/

Notícias relacionadas

Kawasaki Z e-1, a primeira moto elétrica japonesa. Aqui está o nosso teste!

Marcelo Nunes

TESLA CYBERTRUCK CYBERTRUCK: Tão Bom Quanto a CBR650R

Marcelo Nunes

Peugeot Surpreende com o Conceito SPX: Uma Homenagem ao Ícone Tubo

Marcelo Nunes

Deixe um comentário