fbpx
The Riders Histories
Clássicas

Á OUVIU FALAR NA NIMBUS? STOVEPIPE OU BUMBLEBEE?

A Dinamarca também tinha sua jóia de duas rodas, por pouco tempo, mas teve!

A Fisker & Nielsen, uma fábrica dinamarquesa  instalada em Copenhague era conhecida pelo seu excelente aspirador de pó Nilfisk C1 (o primeiro elétrico da Europa), foi fundada em 1906 por Peder Andersen Fisker e  Hans Marius Nielsen.

Eles tinham o desejo e ambição de criar uma empresa global, mesmo saindo de uma oficina de quintal e deu certo, para se ter uma idéia, na cidade de Jundiaí-SP existe uma!

Treze anos depois , em 1919, eles resolveram tentar a sorte no mercado das motocicletas com a marca Nimbus, e foram inovadores.

Foto: Divulgação – Nimbus 1920

Seu primeiro modelo foi um 4 cilindros com 756 cc, chassi de aço estampado, transmissão por eixo quando todas usavam corrente, produzia 10hp  e, o mais interessantes, um tanque cilíndrico que era também a parte superior do quadro, e se estendia da mesa até o paralama traseiro,  marcando o modelo como “Stovepipe”,  que , traduzido se parece em algo como chaminé.

Foto: Divulgação – Nimbus 1927 4cil Stovepipe

Ela alcançava até 85 km/h com sidecar instalado, suspensão em ambas as rodas, enfim, era uma moto à frente de seu tempo.

Foto: Divulgação – Nimbus Stovepipe 1926 Motor

Mesmo assim, as venda eram baixas, o que levou a Fisker entrar em todas corridas que podia, com ou sem sidecar, o que lhe rendeu uma boa reputação mas…a chegada de um imposto sobre venda de motocicletas e a recessão econômica contribuíram para que, gradualmente a produção fosse diminuindo após 1300 unidades já produzidas.

Foto: Divulgação – Nimbus C com Sidecar

No ano de 1932, Fisker e seu filho Anders deram a largada em um novo projeto que foi apresentado em 1934, a Nimbus C. Com mais novidades, ela vinha com o quadro feito de tiras de aço rebitadas, moldadas para contornar o tanque de combustível, o que era comum na época. O escapamento tinha um som característico que emitia um som diferenciado, um zumbido que logo gerou o apelido de “The Bumblebee” (A abelha).

Foto: Divulgação – Nimbus C

O primeiro cliente recebeu a Nimbus C no verão de 1934 e, depois disso, não demorou para ser a motocicleta mais vendida na Dinamarca, inclusive com clientes como serviço postal, exército e polícia.

Foto: Divulgação – Nimbus C 1949

Em 1939, com a  previsão da chegada da Segunda Guerra Mundial, 50 milhões de coroas dinamarquesas foram gastos para motorizar o exército com motocicletas, incluindo a C.

Foto: Divulgação – Nimbus Sidecar

Durante a Guerra, 1940 a 1945, foi difícil manter a produção devido a falta de matéria prima, e apenas 600 unidades foram produzidas.

Ao final da Guerra um novo motor foi construído e testado mas, notaram que não havia dificuldades em vender os modelos que ainda estavam em linha. Devido a isso decidiram não investir em novos maquinários para novos modelos e sim, aperfeiçoar os já existentes, dando a possibilidade de atualizar os mais antigos.

Foto: Divulgação – Nimbus Sidecar com metralhadora Madsen 20mm

Anders Fisker, sofrendo com uma esclerose, se aposenta e, o que movia a Nimbus era a paixão de pai e filho, já que os acionistas estavam satisfeitos com os números das outras fábricas.

O exército ficou com 20% da produção da Fisker & Nielsen e o serviço postal dinamarquês ficou com muitas unidades também , usando-os até 1972. A polícia, outro bom cliente, já havia desativado seus modelos Nimbus na década de 50.  Nessa mesma década, tinham alguns novos protótipos com novidades no motor e suspensão, mas nenhum deles entrou em produção. Em 1960 os modelos já eram mais lentos que a concorrência e suas modificações não foram suficientes para acompanhar o mercado.

Foto: Divulgação – Nimbus 750 Straight 4 cil 1938

Depois de entregue a última encomenda do exército dinamarquês, a produção foi encerrada.

Uma curiosidade a respeito da Nimbus, que pode entrar no  programa “verdade ou mito” é que, com os modelos se aperfeiçoando, em 1934 foi lançada uma nova versão 750cc que vinha pela primeira vez na história da motocicleta, equipada com um garfo dianteiro telescópico. Mas, ainda tem mais, dizem que esse modelo de suspensão foi inventado pela F&N, e a Nimbus C a primeira a ser equipada com ele. O outro lado diz que esse mérito foi da BMW, na R12 enfim…fofocas que não para nós, não importa quem fez, mas sim que elas estão em todas as motos do mundo atual. 

A diferença talvez seja que, na BMW R12 o garfo tinha amortecimento hidráulico, detalhe que só chegou na Nimbus em 1939.

Foto: Divulgação – Nimbus Stovepipe

Atualmente, a marca Nimbus, é sinônimo de exclusividade e raridade devido a um número pequeno de unidades produzidas, apesar de altamente sofisticadas. Para se ter uma ideia da exclusividade, em 1923 foram produzidas 279 unidades.

Foto: Divulgação – Nimbus C Customizada

Em toda sua existência de 1919 a 1954, foram produzidas  dentre todos os  modelos, pouco mais de 12.000 unidades, sendo que aproximadamente 4.000 ainda rodam pela Europa, majoritariamente na Dinamarca.
Fonte:
Por Trinity Ronzella  Equipe MOTO.com.br

Notícias relacionadas

Honda VF750F, a chegada V4 do futuro

Marcelo Nunes

Kawasaki ZX-10 Tomcat: Um verdadeiro míssil

Marcelo Nunes

HARLEY-DAVIDSON MODEL J – 1915

Marcelo Nunes

Deixe um comentário