fbpx
The Riders Histories
Clássicas

Kawasaki ZX-10 Tomcat: Um verdadeiro míssil

Kawasaki ZX-10 Tomcat – A Kawasaki sempre quis ter as motocicletas mais potentes e rápidas do mundo. Atualmente temos as brutais H2R, mas essas motos tiveram um precedente em 1988.

Kawasaki ZX-10 Tomcat, esse era o nome um míssil de Akashi Motocicleta histórica

A Kawasaki GPZ 1000 RX 1985 era uma motocicleta rápida, porém pesada, que acabou sendo superada pela Yamaha FZR 1000, pela Honda CBR 1000 e pela Suzuki GSX-R 1100, então a marca Akashi fez uma motocicleta totalmente nova com o intuito de se recuperar o título de ‘motocicleta mais potente e rápida’: em 1988 apresentou sua Kawasaki ZX-10 Tomcat , apesar de nessa época essas motocicletas rápidas começarem a ser desaprovadas.

Especialmente nos EUA, alguns políticos deram especial ênfase a esta questão e a Kawasaki decidiu inicialmente não exportar o seu novo ZX-10 para aquele país para evitar problemas. Mas no que diz respeito à Europa, o Kawa veio a varrer, e fê-lo não só por oferecer mais potência e velocidade do que a concorrência, mas também por oferecer um preço mais baixo do que qualquer um deles: o sucesso estava assegurado.

Leia também:

A Kawasaki ZX-10 Tomcat era completamente novo e tinha dois pontos importantes para resolver em relação ao GPX: peso e potência. Para o primeiro foi utilizado o alumínio, que foi utilizado no chassi com viga dupla em ‘U’ e no braço oscilante. Para isso também contribuiu o novo motor, que não foi derivado do GPX mas sim do desportivo GPZ 900 R Ninja, embora tenha sido bastante modificado: a cadeia de distribuição passou do centro para o lado esquerdo, tornando-a muito mais compacta.

O chassi era uma viga dupla em U de alumínio.

Toda a parte termodinâmica foi modernizada: distribuição, válvulas, pistões, bielas, virabrequim… tudo novo. Esta hélice passou em muitos testes de resistência (girando até quase 14.000 rpm) com sucesso.

Com o novo chassi e o novo garfo, além de uma redução radical de peso, o desempenho da ZX-10 não só foi melhor que o da GPX 1100 RX, como também superou o da esportiva Ninja 900.

Kawasaki ZX-10 Tomcat Turismo desportivo muito rápido

É preciso deixar claro que, apesar de ter melhorado claramente em todas as secções dinâmicas, o Tomcat não era um típico automóvel desportivo, mas sim um turismo desportivo muito rápido, capaz de viajar com dois ocupantes com notável conforto.

Um pequeno orifício com uma chave para guardar o dispositivo anti-roubo e mais alguma coisa. Você pode ver os ganchos para redes ou polvos.

Na direção esportiva, a ZX-10 era claramente mais ágil e estável que a anterior GPZ 1000, com suspensões que funcionavam muito melhor e com cerca de 12 kg a menos de peso, mas ainda era uma motocicleta de 248 kg (com gasolina) que a suspensão era macio, especialmente o garfo ao frear forte, e esfrega facilmente ao inclinar. Não: viagens em alta velocidade eram sua praia.

Dennis Noyes testou-a para Solo Moto no circuito de Jerez em 1988. O especialista Dennis disse que neste ambiente a Suzuki GSX-R 1100 ainda era a mais esportiva e a que tinha melhor desempenho neste ambiente, e que a Kawasaki ZX-10 Tomcat era claramente superior à Honda e possivelmente à aparentemente mais esportiva Yamaha.

O bom e velho Dennis Noyes testando a Kawasaki ZX-10 Tomcat em Jerez.

Comportou-se melhor em estradas rápidas do que em estradas de montanha: nas primeiras tirava-se melhor partido da potência do seu motor e da sua boa estabilidade, enquanto nas últimas o seu peso e suspensões macias obrigavam a um ritmo mais moderado.

O motor passou a funcionar a partir das 3.000 rpm, mas ofereceu o seu melhor a partir das 5.000 até o corte da ignição, mas de forma tão linear que não parecia ter os 137 CV declarados. Para isso também contribuiu seu longo desenvolvimento, que buscava alta velocidade máxima e comportamento suave em alta velocidade, mas tudo isso era enganoso: a Kawasaki acelerava mesmo.

Na estrada, as suspensões absorveram bem as irregularidades do asfalto e transmitiram muito mais que as do GPX. Os freios também eram claramente mais potentes que os do 1000 anterior.

A Kawasaki ZX-10 Tomcat foi fabricada de 1988 a 1990, sendo substituída pela ZX-11 (ZZR 11oo), que com 145 CV ultrapassava os 280 km/h … e a Kawasaki sempre quis ter as motos mais rápidas…

Sempre em busca do recorde

O ZZR 1400 seguiu o conceito do Tomcat.

Como já referimos e faz parte do ADN das motos verdes, a Kawasaki sempre se esforçou para ter a moto de produção mais potente e rápida do momento. Se o conseguiu com o Tomcat e seu sucessor, o ZX-11R, a chegada da Honda CBR 1100 XX em meados dos anos 90 significou elevar a fasquia, à qual se juntou a Suzuki Hayabusa , que com 175 cv era capaz de atingir 308 km /he sendo a primeira motocicleta de produção a superar a barreira dos 300 km/h.

A ZX-12R não conseguiu vencer a Hayabusa, por isso em 2006 lançou sua brutal ZZR 1400 , que com motor de 1.352 cc e 195 HP atingia 311 km/h. Em 2012, uma versão renovada, com motor de 1.441 cc e 205 cv , atingiu velocidade máxima de 321 km/h no anel de velocidade de Nardo (Itália).

O mais recente da Kawasaki a este nível é o Ninja H2R e o seu motor sobrealimentado de 310 CV , com o qual Kenan Sofuoglu conseguiu atingir os 400 km/h em Istambul.

Ficha técnica

Motor: tetracilíndrico em linha 4T, LC, DOHC 16V

Deslocamento: 997 cc

Medidas: 74 x 58 mm (x4)

Potência: 137 CV a 10.000 rpm

Compressão: 11:1

Torque: 10,5 kgfm a 9.000 rpm

Potência: Quatro carburadores Mikuni CVKD de 36 mm

Caixa de câmbio: 6 velocidades

Embreagem: Multidisco em banho de óleo.

Chassi: Viga dupla de alumínio

Braço oscilante: Em alumínio com secção retangular.

Suspensão dianteira: Garfo telescópico hidráulico ajustável de 41/135 mm

Suspensão traseira: Sistema progressivo Uni Trak, com monoamortecedor ajustável de 120 mm.

Freio dianteiro: 2 discos de 300 mm com pinças de 2 pistões

Rodas: 120/70×17 e 160/60×18

Tanque: 22 l

Peso: 222 Kg seco

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades!

Notícias relacionadas

Motos militares: A história do motociclismo nas Guerras Mundiais

The Riders

OS “PNEUS DE FÁBRICA” – SONHO OU PESADELO

The Riders

KTM 1290 Super Aventura de Roland Sands

The Riders