fbpx
The Riders Histories
Notícias

Moto Honda Pop: Saiba mais sobre a evolução do modelo

A Honda Pop é um sucesso, e isso qualquer um que se interesse por motos sabe. Toda a produção é vendida em um piscar de olhos, e existem vários motivos para isso: além do modelo ser o mais acessível entre todos da linha Honda, é também uma moto econômica tanto no que diz respeito ao consumo de combustível quanto à manutenção. Fácil de usar, e por ser uma moto leve e prática, a Pop atrai quem é iniciante, mas também os que sabem das coisas, que entendem o quanto é bom usar uma moto pequena e leve no dia a dia.

A simplicidade da Pop 110 reflete em resistência e suas partes plásticas são essenciais, robustas e bem protegidas. O tanque não amassa, já que fica debaixo do banco. As laterais não ficam raladas pois são embutidas, assim como o painel de instrumentos. É a única moto da Honda sem partida elétrica, mas sim com pedal de partida, o que para seus muitos fãs é uma vantagem, pois mesmo se a bateria estiver cansada, a Pop “acorda”.

O primeiro modelo da linhagem – que foi criado exclusivamente para ao mercado brasileiro –, a Honda Pop 100, foi apresentada no finalzinho de 2006. O motor, herdado da C 100 Dream, tinha cilindro de ferro em vez de alumínio, visando maior simplicidade construtiva e robustez. Outra diferença em relação à Dream era a embreagem, convencional, no lugar da semi-automática.

Moto Honda Pop 100 original pouco mudou no arco de sua produção, que durou nove anos. Da versão original de 2007 até a última Pop 100, de 2015, o modelo recebeu minúsculas mudanças em grafismos e outras, como a adoção de um pequeno defletor plástico na balança de suspensão para desviar a sujeira lançada pelo pneu traseiro no motor, um para-lama dianteiro redesenhado, a ponteira de escape que de integralmente cromada passou a ser preta e a pintura do cilindro, de preto a prata.

No Salão das Duas Rodas de 2015 a Honda apresentou a segunda geração do modelo, praticamente a mesma que está em produção até hoje. Batizada de Honda Pop 110i, como o nome indica a novidade foi um novo motor com incremento de capacidade, que passou dos 97,1 cm3 originais para 109,1 cm3. Além disso, ocorreu a troca do carburador Keihin pelo sistema de injeção eletrônica PGM-FI. Em conjunto tais mudanças não apenas modernizaram o modelo, mas também resultaram em maior desempenho: a potência máxima cresceu quase 30% enquanto o torque subiu mais de 20%.

Trocar o carburador, componente que exige constante atenção, pela injeção eletrônica facilitou a já simples manutenção, e deu ainda mais economia ao motor da Pop. Apesar do aumento na cilindrada a economia cresceu 8%, assim como foram reduzidas as emissões de poluentes. Como não poderia deixar de ser, a essencialidade das partes plásticas nesta nova geração da Pop foi preservada, mas com um painel mais elaborado e formas da carroceria aperfeiçoadas. Nada disso alterou o caráter original do modelo, mas deu-lhe uma “refrescada” visual relevante.

A mais recente atualização na Pop 110i aconteceu em 2019, com a introdução da frenagem CBS – Combined Brake System –, importante evolução em termos de segurança nesta moto que é uma queridinha de uma gigantesca legião de brasileiros: nada menos que 1,5 milhão de Pop foram produzidas no arco de 16 anos, e nada indica que a paixão por esta agora adolescente esteja nem perto de esfriar.

Inscreva-se em nosso Canal no YouTube: The Riders e conheça histórias incríveis do mundo biker!

fonte: https://www.honda.com.br/motos/blog/moto-honda-pop-saiba-mais-sobre-evolucao-do-modelo

Notícias relacionadas

Honda CG 160 Fan 2024: ficha técnica, preço e itens de série

Marcelo Nunes

‘Black Friday’ da Kawasaki oferece desconto no pagamento a vista e condições especiais de financiamento

Marcelo Nunes

Top 5 Motos Usadas Até R$ 10 Mil

Marcelo Nunes

Deixe um comentário