fbpx
The Riders Histories
Mundo SpeedRiders-Speed

MOTOGP, JORGE MARTÍN: “NÃO TENHO NADA A PERDER”

Jorge Martín colocou-se a apenas 14 pontos de Francesco Bagnaia antes da última corrida do ano, depois de vencer a corrida sprint de hoje.

MOTOGP, JORGE MARTÍN (1.º): “VOU DAR 100% EM TODAS AS MANOBRAS, NÃO TENHO NADA A PERDER”

O espanhol prometeu uma atitude de ataque máximo amanhã (à semelhança do que fez hoje), consciente de que não tem nada a perder.

“Foi uma boa corrida, bom arranque, tentei recuperar muitas posições na primeira volta. Passei pelo Johann na primeira curva e depois estava atrás do Pecco e tentei a manobra na curva 10.

Ele respondeu de forma agressiva, mas eu tentei outra vez na curva seguinte, não tenho nada a perder, vou dar 100% em todas as manobras. A

s minhas hipóteses são ganhar ou cair, o que vier é bom. Senti o contacto com o Marc, mas são corridas e não temos nada a perder”, disse.

“A equipe também quer este resultado, amanhã vai ser muito difícil obtê-lo, 14 pontos ainda é muito, mas sinto-me confiante que podemos ganhar a corrida. Isso é importante e depois vamos ver se o Pecco sofre um pouco mais, mas para mim é ganhar ou ganhar, vou à procura disso.

Sabemos que o Brad é forte, amanhã vai ser ainda mais na corrida longa, lembro-me que ele tinha algo mais no ano passado no final da corrida. Mas sinto que demos um bom passo desde a época passada, vamos tentar batê-lo”, referiu.

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades! Moto

MOTOGP, O QUE DISSERAM OS TRÊS PRIMEIROS DO SPRINT

Jorge Martín (Pramac) venceu a corrida sprint do Grande Prémio da Comunidade Valenciana de MotoGP, batendo Brad Binder (KTM) e Marc Márquez (Honda). Aqui ficam as declarações dos três primeiros classificados.

“Arrisquei muito ao correr com os pneus médio e macio, acho que estávamos um pouco no limite. A determinada altura da corrida, vi que o Brad estava a fugir, mas dei tudo o que tinha, era ganhar ou cair. Correu bem, espero que amanhã com os bons pneus possa ganhar outra vez”, disse Martín.

“Tive uma boa corrida, tentei ser agressivo na primeira volta, ultrapassei alguns pilotos. Vi que o Maverick tinha ganho distância e consegui apanhá-lo, perdi algum tempo a tentar ultrapassá-lo. Tive alguns momentos e não tive o suficiente para lutar com o Jorge, mas estou muito feliz por voltar ao pódio”, referiu Binder.

“Tentei dar tudo à frente deste fantástico público em Espanha, a minha corrida deste longo período com a Honda. Começando em nono, sabia que era difícil, mas estava a puxar muito e quase caí algumas vezes, mas vocês conhecem-me, vou tentar outra vez amanhã. Vai ser mais difícil, costumo ter mais dificuldades na corrida longa, mas quero agradecer a esta equipa fantástica”, declarou Márquez.

MOTOGP, JORGE MARTÍN (1.º): “DEI TUDO O QUE TINHA, ERA GANHAR OU CAIR”

Jorge Martín venceu a última corrida sprint da temporada, apesar de ter saído do sexto lugar. O espanhol admite que correu um risco na escolha de pneus, mas o seu empenho foi recompensado, dizendo que pretende ganhar de novo amanhã, estando agora a 14 pontos de Pecco Bagnaia.

“Arrisquei muito ao correr com os pneus médio e macio, acho que estávamos um pouco no limite. A determinada altura da corrida, vi que o Brad estava a fugir, mas dei tudo o que tinha, era ganhar ou cair. Correu bem, espero que amanhã com os bons pneus possa ganhar outra vez”, disse.

MOTOGP, FRANCESCO BAGNAIA (2.º): “ESTOU PRONTO PARA ESTA TARDE”

Francesco Bagnaia melhorou bastante de ontem para hoje em Valência, passando com sucesso pela Q1 e conquistando o segundo lugar na qualificação. O italiano explica a diferença de um dia para o outro e diz que está preparado para a corrida sprint.

“É fantástico, estou feliz. Ontem tivemos um pouco de azar com as sessões, não tivemos tempo para testar uma nova afinação, que foi a que usei hoje. Esta manhã, assim que comecei a sessão, senti-me melhor, fui melhorando a sensação e conseguir a primeira linha da grelha é fantástico. Estou pronto para esta tarde, o objetivo era estar na primeira linha e foi uma boa qualificação”, disse.

MOTOGP, JOHANN ZARCO (3.º): “PRIMEIRA VEZ NA PRIMEIRA LINHA ESTE ANO, PELO MENOS UMA”

Johann Zarco alcançou hoje a primeira linha da grelha pela primeira vez este ano, na sua última prova pela Pramac. O francês não pensa para já em Pecco Bagnaia, rival do seu colega de equipa Jorge Martín na luta pelo título, mas ficou satisfeito com a sua volta e quer ver se consegue ser competitivo na corrida sprint.

“Não podemos planear isso, vamos ver na corrida se consigo ser competitivo para o pódio. Estou feliz por estar na primeira linha da grelha, a primeira do ano, pelo menos uma. Não esperava porque, no segundo pneu, a minha primeira volta, quando o pneu está na sua melhor condição, fiz apenas 29.4 e fiquei preocupado, mas estou feliz com esta última volta, não tive bandeiras amarelas e consegui uma boa volta. É uma oportunidade para obter o primeiro pódio numa sprint mais tarde”, disse.

MOTOGP, MARC MÁRQUEZ (3.º): “IMPOSSÍVEL CONTROLAR AS EMOÇÕES”

Marc Márquez não escondeu a emoção depois de conquistar o terceiro lugar na corrida sprint de Valência. O espanhol, que ainda teve um contacto com Jorge Martín durante a prova, diz que amanhã pretende atacar, uma vez que tem ritmo para isso.

“Foi um momento com um candidato ao título, o Jorge Martín, mas estão todos a puxar até ao limite e todos estão a tentar fazer o melhor. Na curva 4-5, havia algum caos entre o Binder e o Viñales, o Jorge travou um pouco mais cedo na curva 6 e eu ataquei, mas ele defendeu bem. Depois abrandei, se tivesse acelerado mais, ele caía. Amanhã vamos tentar dar o melhor outra vez”, disse.

“Vou atacar, se tiver ritmo e possibilidades. No Qatar, não ataquei o Pecco e o Martín (Pecco na corrida sprint e o Martín na corrida principal) porque não tinha ritmo e não tinha como atacar e ultrapassar. Aqui tenho ritmo e vou lutar pela minha corrida e dar o meu melhor, sempre dentro dos limites, mas são corridas e nunca se sabe. Agora já me acalmei um pouco, mas é impossível controlar as emoções quando vês as caras dos elementos da tua equipa, a equipa da minha carreira e da minha vida. No próximo ano, vou ter outro grupo, mas eles são meus amigos e atingimos muitas coisas juntos, impossível controlar as emoções”, referiu.

Notícias relacionadas

MOTOGP: JACK MILLER VENCE SEGUNDA CORRIDA CONSECUTIVA

Marcelo Nunes

MOTOGP, FABIO QUARTARARO (13.º): “TEMOS DE DAR UM PASSO ENORME NA SEGUNDA-FEIRA”

Marcelo Nunes

Quartararo se diz “preocupado” com Yamaha após GP do Catar

Marcelo Nunes

Deixe um comentário