fbpx
The Riders Histories
Dicas

O que é o Quickshift – Como funciona e quais as vantagens na condução de uma moto

A função Quickshift, também conhecida como Quickshifter, é um recurso inovador desenvolvido para algumas motos mais recentes que aprimora a experiência de mudança de velocidades na caixa. Neste artigo iremos dar uma explicação técnica detalhada da função Quickshift, dos seus princípios de funcionamento e das vantagens que oferece aos motociclistas. A discussão abrange os vários componentes envolvidos, as operações electrónicas e mecânicas e os benefícios da implementação desse recurso.

A função Quickshift nas motos vem revolucionar a troca de mudanças ao permitir que os motociclistas usem a caixa normalmente sem a necessidade de usar a embraiagem ou cortar gás no acelerador. Esse novo recurso aprimora a experiência geral de pilotagem, permitindo mudanças de caixa contínuas e rápidas. Neste artigo iremos aprofundar os aspectos técnicos da função Quickshift, destacando o seu funcionamento e vantagens.

Componentes e funcionamento

Sensor de posição da mudança engrenada: O sistema Quickshift incorpora um sensor de posição da mudança, normalmente colocado perto da caixa de velocidades, que detecta a mudança atual engrenada, fornecendo informações em tempo real para a unidade de controle eletrónico (ECU) da moto sobre a posição da mudança, permitindo uma troca de mudança precisa e rápida.

Sensor de posição do acelerador: O sensor de posição do acelerador mede o grau em que o moto roda o acelerador. Essas informações ajudam a ECU a determinar o momento ideal para as trocas de mudança, garantindo mudanças suaves e eficientes.

Interruptor da embraiagem: O interruptor da embraiagem é um componente crítico no sistema Quickshift. Quando o motociclista opera a manete da embraiagem, o interruptor envia um sinal para a ECU, desativando temporariamente a função Quickshift. Isso permite realizar a operação tradicional da embraiagem sempre que desejado.

Corte de ignição: A função Quickshift conta com um mecanismo de corte de ignição para interromper momentaneamente a entrega de energia ao motor durante as mudanças de velocidade. Essa interrupção minimiza a carga na transmissão, facilitando passagens de caixa rápidas e contínuas.

Controle da ECU: A ECU serve como centro de controle para a função Quickshift, recebendo inputs do sensor de posição da mudança, do sensor de posição do acelerador e do interruptor da embraiagem. Com base nessas entradas, a ECU determina o tempo ideal para passagens de caixa e emite comandos para o sistema de ignição para cortar momentaneamente a faísca, permitindo mudanças mais suaves.

Operação Técnica – Funcionamento da função Quickshift 

Fase pré-mudança: Quando o motociclista deseja mudar de velocidade a subir na caixa, o sistema Quickshift monitoriza continuamente o sensor de posição de velocidade engrenada e o sensor de posição do acelerador. Analisa a entrada do acelerador no momento e calcula o tempo ideal para a entrada da mudança superior com base em parâmetros predefinidos.

Fase de corte e mudança de ignição: À medida que o motociclista aplica uma força para cima no pedal das mudanças, a ECU recebe um sinal do sensor de posição de mudança indicando a passagem de caixa iminente. A ECU comanda o sistema de ignição para cortar momentaneamente a faísca, interrompendo o fluxo de energia para o motor.

Fase Pós-Mudança: Após o corte de ignição, o motociclista completa a mudança aplicando pressão para cima no pedal e normalmente cortando no acelerador. À medida que ocorre a mudança de velocidade, o sistema de ignição é reativado, retomando a entrega de potência ao motor automaticamente. O processo garante interrupção mínima na aceleração da moto e mantém a estabilidade durante as passagens de caixa.

Vantagens para a condução

Troca de marchas contínua: A função Quickshift permite passagens de caixa perfeitas sem a necessidade de acionarmos a embraiagem ou desacelerar, resultando em transições mais suaves entre velocidades, reduzindo solavancos ou cortes durante a aceleração e aumentando o conforto geral da pilotagem.

Aceleração aprimorada: com a função Quickshift, os pilotos podem passar caixa rapidamente, mantendo a aceleração e a potência do motor. Este recurso permite uma aceleração mais rápida, principalmente em cenários como ultrapassagens ou saídas de curvas, onde passagens de caixa rápidas são cruciais.

Fadiga Reduzida: Ao eliminar a necessidade de operar a embraiagem, a função Quickshift reduz a fadiga do piloto, especialmente durante viagens prolongadas ou em condições de tráfego pesado. Os motociclistas podem-se concentrar mais em sua seleção de linha, frenagem e técnica geral de pilotagem.

Desempenho em competição: Em situações de competição, a função Quickshift oferece uma vantagem significativa, permitindo que os pilotos realizem passagens de caixa sem esforço e rapidamente, optimizando a aceleração e mantendo uma entrega de potência consistente. Um recurso que oferece uma vantagem competitiva em circuitos de competição.

Conclusão

A função Quickshift melhora a experiência nas passagens de caixa, permitindo trocas de velocidades perfeitas e sem embraiagem. Por meio de uma combinação de sensores, mecanismos de corte de ignição e o controle eletrônico realizado pelo ECU, os pilotos podem passar caixa de forma rápida e eficiente, sem cortar no acelerador. 

A função Quickshift oferece ainda vantagens como mudanças suaves, aceleração aprimorada, fadiga reduzida e desempenho aprimorado em competição. 

Ao integrar esse recurso, os fabricantes de motos continuam a melhorar a experiência de pilotagem e respondendo às crescentes necessidades dos motociclistas e a uma maior segurança na estrada.

Notícias relacionadas

Veja tudo que muda para motos na nova lei.

Marcelo Nunes

Top 5 Acessórios Que só um Motoqueiro de Verdade usa!

Marcelo Nunes

Barulho de moto te irrita? Descubra como parar de se incomodar!

Marcelo Nunes

Deixe um comentário