fbpx
The Riders Histories
Clássicas

Suzuki RG 250 Gamma completa 40 anos

A Suzuki RG250 Gamma foi a primeira moto de produção construída como uma réplica quase exata das que competiam no Mundial de Velocidade da época. Nascida em 1983, a épica japonesa com motor a dois tempos, completa assim 40 anos e já se tornou uma lenda do país dos samurais.

Em 1983, a Suzuki deu início a um dos segmentos mais épicos de todos os tempos. Há quatro décadas a Suzuki RG250 Gamma inaugurou a categoria de motos de “competição réplicas”. Ou seja, algumas máquinas tão válidas para conduzir na rua como para entrar no circuito e dar tudo. Motos capazes de oferecer todas as sensações da competição, mas que na verdade, eram muito selvagens e incontroláveis ​​para mãos menos habilidosas.

Uma lenda desde o nascimento, a Suzuki RG 250 Gamma conquistou as concessionários japonesas no início dos anos oitenta. No mesmo ano da sua estreia, foi eleita “Moto do Ano” no Japão e 52.000 unidades foram vendidas num ano – bem acima dos números de vendas de todas as suas concorrentes.

Para o conseguir, a Suzuki colocou na estrada a primeira moto de produção com quadro de alumínio de longarina dupla. O quadro retangular era uma obra-prima. O lendário Dual Cell-ALBOX oferecia rigidez máxima, permitia que o peso total fosse reduzido para apenas 131 quilos e funcionava em conjunto com suspensões altamente evoluídas. No eixo traseiro tinha sistema Full-Floater e na dianteira, uma suspensão com sistema Anti Nose Dive Fork (ANDF). Além disso, a RG 250 Gamma também foi a primeira a montar uma carenagem de corrida pintada nas cores oficiais da marca.

O lendário coração mecânico era um motor de dois cilindros a dois tempos, refrigerado a líquido, com cames de admissão Suzuki (SIPC) recém-desenvolvidos e carburadores de porta plana. A potência máxima que gerava era de 45 cv a 8.500 rpm. Era um verdadeiro motor de corrida com a elasticidade de uma perna de pau. Na verdade, dava o seu melhor a partir das 7.000 rpm, pelo que a faixa ideal de uso em curvas era muito pequena. Uma moto que entregava ou tudo, ou nada, e o caráter civilizado não estava entre os seus atributos.

A Suzuki RG 250 Gamma foi a antecessora da mais conhecida RGV 250 Gamma que chegou ao mercado no final da década. As medidas das rodas e pneus, parecem hojepequenas e estreitas: pneu traseiro de 18″ (100/90-18) e pneu dianteiro de 16″ (100/90-16).

Em termos de números, a lendária Suzuki RG 250 Gamma ultrapassava os 170 km/h e tinha uma aceleração de apenas 6,5 segundos dos 0 aos 100 km/h. Sem dúvida, um verdadeiro unicórnio a dois tempos.

Notícias relacionadas

Yamaha RD350 Viúva Negra – A Moto que Marcou uma Era

Marcelo Nunes

Restauração de uma Harley-Davidson Militar

Marcelo Nunes

Honda CB 500 Four: Um clássico pouco conhecido

Marcelo Nunes

Deixe um comentário