fbpx
The Riders Histories
Riders Trail

Tiger 900 Rally Pro: Explorando as Características desta Triumph

Descubra a Triumph Tiger 900 Rally Pro, com 6 modos de pilotagem, controles intuitivos, chassis robusto para off-road, e freios Brembo, esta moto oferece uma experiência excepcional em viagens, combinando conforto, desempenho e tecnologia de ponta.

Em primeiro lugar, a linha Tiger 900 da Triumph, conhecida como a série de meias de trilha da marca inglesa, oferece opções emocionantes para os amantes de off-road.

Portanto, uma moto Premium repleta de recursos eletrônicos avançados, motor potente e versatilidade notável.

Explorando as Características da Tiger 900 Rally Pro da Triumph. Uma Aventura Pela Patagônia Argentina

A estrela dessa gama é a Tiger 900 Rally Pro, destacando-se com uma roda dianteira de 21 polegadas, suspensões de longo curso, modos de condução específicos e uma ergonomia repensada.

Na minha opinião, é a moto mais fascinante e versátil da marca britânica.

Quando me confirmaram o empréstimo da Triumph Tiger 900 Rally Pro, quase 0 km, não hesitei.

Da mesma forma, embarquei em uma jornada de uma semana pela Patagônia Argentina.

Contudo, partimos de Buenos Aires, rumo ao sul pela RN3 até a cidade de Trelew, em Chubut, e de lá seguimos pelo RP25 até Tecka, ao sul de Esquel.

O restante da viagem se desenrolou ao longo da icônica RN40 e seus arredores, culminando em Junín de los Andes, onde nos dirigimos à ‘cidade da fúria’.

Foram 7 dias intensos, atravessando 5 províncias e percorrendo quase 4.700 km na minha primeira experiência com uma Triumph. Um verdadeiro luxo, não é mesmo?

Destaco, primeiramente, o conforto excepcional da Tiger 900, algo crucial para longas jornadas off-road. Após tantos quilômetros,

meu corpo não sentiu os efeitos do cansaço, graças ao tamanho e amortecimento do assento de duas peças.

Vale mencionar que, apesar desse conforto, a moto perde um pouco do estilo rally, e a ausência de uma opção de assento longo e fino (no estilo enduro).

No entanto, pode ser considerada uma limitação para movimentação livre do piloto na motocicleta.

Se há alguma crítica mais significativa, seria essa, dada a proposta off-road da moto.

Quanto à ergonomia, o resto está muito bem projetado.

Como resultado, a posição dos pedais é específica para a versão de rally, e o guidão largo proporciona controle fácil em qualquer condição.

Uma melhoria possível seria a capacidade de ajustar a distância do guidão, permitindo ao piloto encontrar a postura mais confortável.

Com minha altura de 1,75 metros e comprimento de braço, não consegui adotar uma posição completamente ereta na Triumph Tiger 900 Rally Pro.

Mas, isso não diminuiu a empolgação da aventura pela Patagônia.

Não vou negar que isso não causou desconforto nenhum, mas é verdade que seria legal se essa moto tivesse umas regulagens ergonômicas para agradar a todos os tamanhos de pilotos.

Olha só, ela oferece ajuste de altura do assento, com opção de 860 ou 880 mm do chão.

E falando dos controles, ambas as alavancas são ajustáveis em distância, e o pedal de freio, saca só, tem duas alturas diferentes só girando a ponta dele.

A FAVOR

O motor é top Equipamento e qualidade premium Manda bem no off-road de verdade

EM CONTRA

Não tem assento enduro opcional Nada de ajuste de distância do guidão Não dá pra mudar os modos enquanto tá pilotando. E não liga no modo desligado depois de parar

Mesmo não tendo carona, a gente percebeu em viagens curtas que o banco do passageiro é muito confortável, sabe?

De novo, mérito do tamanho e da maciez do assento, e a posição do pedal não é tão alta, então você não precisa se contorcer muito.

Sobre a proteção aerodinâmica, é a melhor da categoria, longe.

Tem um parabrisa (que dá pra ajustar em 5 posições) bem grandão, coisa que não é tão comum numa moto off-road (alguns vão achar ruim, mas opinião é que nem…).

Mas, e esse parabrisa é fácil de ajustar até no meio do trânsito.

Eu, com minha altura, fiz a viagem toda com ele na posição mais baixa, e tava suave, desviava o ar direitinho por cima do capacete.

E pra fechar, a proteção da frente da moto é top também, te mantém longe do tempo e ainda manda embora o calor do motor tri-cilíndrico. Por fim, agradeço muito por terem incluído capas de punho de fábrica.

Sobre o design, sem muitos detalhes, fica a critério de cada um.

Eu curto bastante, destaco a moldura com acabamento branco, coisa exclusiva dessa versão.

Porém, pode ter gente que reclame das cores sóbrias, mas eu, sinceramente, curto a vibe mais discreta.

Claro, a iluminação é toda em LED, com o farol principal acompanhado por auxiliares que, quando trabalham juntos, fazem a pilotagem noturna ficar bem segura.

Se eu pudesse dar um pitaco, especialmente em uma moto premium (a gente espera que todas as frescuras sejam atendidas, né?!).

Portanto, seria legal se, quando detectasse a diminuição da luz ambiente, a moto mudasse automaticamente para o DRL no farol baixo.

E falando em escuridão, só pra constar, os comandos nas pinhas têm iluminação.

No início, falei pra vocês que essa versão Rally Pro é a mais roots da família Tiger 900. Vamos dar uma olhada nas diferenças:

  • Tem uma roda dianteira de 21 polegadas.
  • As rodas são de raios cruzados (sem câmara).
  • O garfo invertido Showa de 45 mm tem ajuste de pré-carga, compressão e retorno, com curso de 240 mm.
  • O monoamortecedor Showa tem ajuste de pré-carga e extensão, com 230 mm de curso.
  • Tem modos de condução off-road (Off-Road e Off-Road Pro).
  • A placa de proteção é mais generosa e robusta.

Ficha técnica

MotorTrês cilindros paralelos, 4T
Distribuição12 válvulas DOHC
AlimentandoInjeção eletrônica
RefrigeraçãoLíquido
Diâmetro x curso78×61,9mm
Deslocamento888 cc
Poder declarado95,2 cv a 8.750 rpm
Torque declarado87 Nm a 7.250 rpm
Taxa de compressão11.27:1
começarElétrico
CaixaManual, 6 marchas
EmbreagemAssistido e anti-salto
Transmissão FinalCorrente
Contextoem aço multitubular
DianteiraGarfo invertido Showa de 45 mm com ajuste de pré-carga, compressão e retorno
Rota240 mm
TraseiraMonoshock Showa com ajuste de pré-carga e extensão
Rota230mm
AvançarDisco flutuante duplo de 320 mm com pinças radiais de 4 pistões, ABS.
TraseiraDisco de 255 mm com pinça de pistão único, ABS.
Avançar90/90-21
Traseira150/70-17
Comprido Largo alto– / 935 / 1.502 milímetros
Distância entre eles1.551 mm
Altura do assento860-880 mm
Distância ao solo
tanque de combustível20L
peso seco201kg
Velocidade máxima

No quesito motor, não tem nada que o diferencie dos outros Tiger 900. Só posso jogar flores nesse três cilindros agora.

Ele encanta em qualquer situação, até mesmo céticos como eu, que até hoje achava que um v-twin ou um bi paralelo com virabrequim de 270° eram as configurações certas e ideais pra uma moto desse tipo.

Desculpa pela ousadia, Triumph!

Por exemplo, a ficha técnica diz que é um bloco de três cilindros paralelos, refrigerado a líquido, com 888 cc, DOHC, 12 válvulas, e tá acoplado a uma caixa de 6 marchas com uma embreagem assistida e anti-rebote.

Claro que tá dentro das regulamentações Euro5 e, comparado com os antigos 800 cc, tem uma ordem de disparo 1-3-2.

Certamente, melhora a sensação do acelerador e entrega mais potência em baixas rotações.

A Triumph anuncia 95,2 cv a 8.750 rpm de potência e 87 Nm a 7.250 rpm de torque máximo, um aumento de 10% em relação ao bloco de 800 cc.

As sensações desse motor são únicas, pelo menos eu não consigo comparar com nenhum outro.

Estica bem (tipo um tetra) e tem um bom torque em baixas rotações (como um bom bi). Apesar de ser potente, é suave e fácil de domar.

O motor é uma maravilha

Em primeiro lugar, se quiser andar devagar e em marcha alta, ele não reclama; mas se quiser acelerar forte, ele se transforma num foguete que ainda emite um som quase celestial.

O câmbio tem um quickshifter +/- que é, na minha opinião, o melhor que já testei. Um exemplo de trabalho bem feito.

Durante nossa viagem, o Tiger 900 encarou várias condições de uso, desde ventos patagônicos até retas infinitas e curvas tanto no asfalto quanto na terra, gerando consumos bem variados.

A gente marcou de 4,6 litros a 6,5 litros para rodar 100 km.

Mas, lógico que manter a mesma velocidade, com ou sem vento, faz diferença, e mesmo que a moto tenha potência de sobra e não hesite em acelerar, isso afeta a autonomia.

Com o tanque de 20 litros, deu pra ver que o Tiger 900 aguenta fácil uns 400 km sem parar pra abastecer, em condições favoráveis e respeitando os limites de velocidade.

Pra uma trilha média, não precisa de mais capacidade no tanque. Só pra constar, na nossa viagem de quase 4.700 km, a média de consumo foi de 5,4 litros.

Mais que bom pra uma moto com essas características.

Como a Tiger 900 ostenta seu estatuto de moto Premium, o equipamento eletrónico é top de linha, e não percebemos falta de nenhum item que mereça destaque.

Dá uma olhada nesses detalhes:

  • Tem 6 modos de pilotagem que ajustam o acelerador, as configurações do ABS e o controle de tração. Os modos Rider e Off-Road Pro são totalmente personalizáveis sem nenhuma assistência.
  • Controle de tração e ABS otimizados para curvas, graças a um IMU que mede várias coisas em tempo real, tipo rolamento, inclinação, ângulo de lançamento, aceleração e ângulo de inclinação da moto.
  • Monitoramento da pressão dos pneus TPMS.
  • Controle de velocidade de cruzeiro.
  • Punhos aquecidos e assentos aquecidos individualmente.
  • Instrumento TFT colorido de 7” com 4 modos de exibição e conectividade Bluetooth via aplicativo My Triumph, que deixa ter todas as funções do telefone no instrumento:

Navegador com símbolos, música, chamadas, mensagens e até controle da GoPro.

Contudo, agora, dois esclarecimentos nessa parte tecnológica da Triumph Tiger 900 Rally Pro. Primeiro, tem muita informação nos instrumentos, que, à primeira vista, pode até confundir.

Entretanto, só precisa estudar um pouco e escolher o modo de visualização mais confortável (no meu caso, o 4).

Depois disso, tudo é fácil de mexer com um “joystick” no punho esquerdo.

Leia também:

O outro esclarecimento é sobre os modos de condução.

Pra trocar de um dos 4 modos ligados para desligado (e vice-versa), precisa parar completamente o Tiger 900 (não precisa desligar a ignição), e o mesmo na volta.

Além disso, outra coisa que pode acontecer é estar no modo Off-Road, desligar a moto numa parada e, ao ligar de novo, ela lembrar que estava no Off-Road, mas se não entrar no menu e selecionar de novo, ela começa no modo Road.

A parte do chassis tá top, com um quadro multitubular de aço e subestrutura parafusada, além de um braço oscilante duplo fundido em alumínio.

Portanto, esse conjunto tá ligado às rodas por suspensões de alta qualidade que tão entre as melhores no segmento, tanto em funcionamento quanto em regulagens e trajetos.

Domínio Versátil: Explorando a Agilidade Off-Road e Surpreendendo no Asfalto com o Tiger 900 Rally Pro

Apesar de não sermos especialistas off-road, a gente botou esse Rally Pro pra encarar diferentes terrenos e sempre teve a mesma sensação: como é fácil pilotar essa moto de 201 kg em estradas secas e com pneus 90/10.

E no asfalto, queria ver o que um Tiger GT com frente de 19” faria de melhor. Sinceramente, o 21 deste Rally Pro impressiona demais.

Dá pra fazer curvas rápidas e mudanças de direção, tudo com uma sensação de leveza e equilíbrio ao mesmo tempo. Os pneus Bridgestone 90/10 que a Triumph escolheu pro Rally Pro são mistos, mas têm uma pegada mais asfáltica.

Claro, isso pode gerar dúvidas numa moto focada em trilhas ou off-road, mas acho que a Triumph foi esperta e botou um pneu 90/10, e quem quiser algo mais agressivo pode trocar fácil. Essa moto tem características reais pra off-road, é um dos melhores no segmento nisso.

As medidas são 90/90-21” na frente e 150/70-17” atrás.

E pra fechar, os freios não deixam a desejar, como a gente espera de uma moto dessa categoria. São da Brembo, na versão Stylema (a melhor da marca italiana), com disco duplo flutuante de 320 mm e pinças radiais de 4 pistões (como a bomba dianteira), e traseiro de 255 mm com pinça simples de pistão.

Claro, tem ABS de canal duplo otimizado pra curvas e com função off-road. Ambos os freios são fáceis de dosar e têm uma mordida ótima quando precisa.

Em conclusão, pra fechar com chave de ouro, uma viagem sensacional (aqui no nosso país, as viagens de moto são das melhores) com uma moto que superou minhas expectativas.

Em resumo, confortável, com um motor que é uma maravilha e com verdadeiras capacidades off-road. Pelas minhas preferências e pro que eu preciso agora, essa Tiger 900 Rally Pro é o produto mais interessante e versátil que a Triumph tem no catálogo.

Continue navegando no portal The Riders e acelere com a gente!

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades! Moto

Notícias relacionadas

Honda Transalp 750: Chegar à América com um preço estonteante

The Riders

Nova Husqvarna Norden 901 tem preço confirmado

The Riders

Aprilia Tuareg: 5 coisas que você precisa saber

The Riders