fbpx
The Riders Histories
Mundo SpeedRiders-Speed

A Honda Racing Corporation e Marc Márquez acabam de revelar que decidiram mutuamente antecipar a rescisão do contrato de quatro anos do multi-Campeão Mundial no final da época de 2023.

MotoGP, 2023 – Márquez deixa a Honda

Como já se esperava há algum tempo, e apesar de ter um ano ainda por cumprir do contrato de quatro anos entre a HRC e Marc Márquez, ambas as partes concordaram mutuamente em terminar a sua colaboração no final da época do Campeonato do Mundo de MotoGP de 2023.

Ambas as partes concordaram que era do seu interesse procurar outras vias no futuro para melhor atingir os seus respetivos objetivos e metas.

Isto põe fim a 11 anos de colaboração entre o #93 e a HRC, nos quais alcançaram juntos seis Campeonatos do Mundo da categoria rainha, cinco Triplas Coroas, 59 vitórias, 101 pódios e 64 poles.

A Honda é a única marca pela qual Márquez pilotou até agora na sua carreira, tendo começado pelas 125.

Márquez conquistou a sua primeira vitória na categoria rainha a bordo da Honda RC213V no Grande Prémio das Américas em Austin, Texas, em 2013, tornando-se o mais jovem vencedor da categoria rainha e o mais jovem Campeão do Mundo da categoria rainha no final desse ano.

Em 2014, defendeu o seu título e venceu as 10 primeiras corridas consecutivas do ano, conquistando depois títulos em 2016, 2017, 2018 e 2019 como piloto da HRC com a equipa Honda Repsol.

Ambas as partes continuarão a dar o seu melhor para as restantes rondas da temporada de 2023 do Campeonato do Mundo de MotoGP.

A HRC desejou a Marc Márquez o melhor nos seus futuros empreendimentos.

Um dos temas mais quentes no paddock nas últimas semanas, surgiram há algum tempo rumores de que o #93 iria optar por uma mudança para a Ducati, principalmente ao lado do seu irmão Alex na Gresini Racing, e o Diretor Desportivo da Ducati Corse, Paolo Ciabatti, (ao lado) alimentou o boato numa recente entrevista.

Agora, com Márquez quase certo na Gresini ao lado do seu irmão Alex, a corrida para o substituir na Honda Repsol está em cheio, e até Miguel Oliveira já foi falado como uma possibilidade… mas o mais natural é que Johann Zarco seja “pescado” da LCR para já, e Iker Lecuona das SBK venha para a equipa satélite no seu lugar, ficando assim tudo entre pilotos Honda.

Notícias relacionadas

Moto chinesa é ‘igual’ a S 1000 RR, só que mais baratinha

Marcelo Nunes

Motos e Pilotos Prontos para a Temporada 2024 da MotoGP

Marcelo Nunes

A Kawasaki Ninja ZX-4R chegará à Europa

Marcelo Nunes

Deixe um comentário