fbpx
The Riders Histories
Riders-SpeedMundo Speed

MOTOGP: Mais colaboração entre F1 e MotoGP é melhor

Paolo Campinoti, team principal da Pramac no MOTOGP, falou sobre a decisão de ter a apresentação da equipe no Bahrain, um dia antes de se dar início ao Grande Prémio do Bahrain, primeira prova da temporada de Fórmula 1.

MOTOGP, PAOLO CAMPINOTI: “MAIS COLABORAÇÃO ENTRE A F1 E O MOTOGP É MELHOR”

Certamente, temos uma relação próxima com o Stefano Domenicali, tínhamos o logo da Fórmula 1 na moto no ano passado.

Contudo, este ano tínhamos os testes no Qatar e a corrida de Fórmula 1 aqui antes da corrida da próxima semana, decidimos fazer a apresentação aqui.

Mas, é um excelente lugar, boa atmosfera. Mais colaboração entre a F1 e a MotoGP é melhor para o desporto”, disse.

GINO BORSOI: “ESTAMOS PRONTOS, A MOTO É MELHOR DO QUE NO ANO PASSADO”

Por exemplo, Gino Borsoi está confiante para mais uma época da Pramac no MotoGP, com o team manager a discutir as possibilidades de Jorge Martín e Franco Morbidelli na nova temporada.

Contudo, é o último passo, temos de encontrar o caminho.

Esta época não vai ser fácil, sabemos que temos uma grande equipa, ambos os pilotos estão prontos. Infelizmente, o Franco não pôde fazer os testes de inverno.

Certamente, não vai estar pronto para o pódio desde o início, mas vamos ajudá-lo a ter a melhor sensação com a moto.

Mas, quanto ao Jorge, estou feliz, tivemos dois testes incríveis e acho que estamos prontos, a moto é melhor do que no ano passado, o Jorge está feliz com a sensação e vamos tentar outra vez”, disse.

Leia também:

Por exemplo, o Jorge tem mais experiência e conhece melhor a moto, acho que esta moto é melhor para o seu estilo de condução.

Como resultado, temos de aprender com os erros do ano passado, temos de ir aumentando a velocidade corrida a corrida, não cometer erros, o campeonato é muito longo.

Ou seja, se encontrarmos o caminho, somos uma boa equipa com bons pilotos. Somos uma equipa com uma atmosfera familiar, é uma das chaves da equipa.

Porém, quando tens esta atmosfera, o piloto dá sempre 100%. Depois do que aconteceu ao Morbidelli, acho que ele já está no mindset para fazer parte da nossa garagem.

Mas, vamos tentar ajudá-lo no início, esta é a parte mais importante da época.

Passo a passo, vamos ver onde ele está, ele vai aprendendo o que precisa, vamos esperar cinco corrida e vamos ver onde estamos com o Morbidelli”, referiu.

MOTOGP, FRANCO MORBIDELLI: “NÃO VAMOS PRESTAR MUITA ATENÇÃO AO RESULTADO NO QATAR”

No entanto, Franco Morbidelli não fez nenhum dos testes oficiais de pré-temporada de MotoGP depois de uma queda em Portimão que o deixou lesionado.

Mas, na apresentação da Pramac no Bahrain, o italiano falou sobre as expetativas para a primeira corrida e para a temporada com a nova equipa.

Em primeiro lugar, foi fantástico a moto parece ótima e o lugar é ótimo, é um ambiente de corrida um pouco diferente do nosso.

Contudo, é bom ter a apresentação da moto desta forma, especialmente para mim, que não conduzi a moto de todo neste inverno.

Fazer alguns metros com a moto e ter as sensações é bom, tenho boas emoções agora.

Entretanto, temos de ver a primeira corrida, não vamos prestar muita atenção ao resultado, falhámos os testes e todos os outros fizeram os testes naquela pista.

A competição vai ser difícil e preciso de me habituar à nova moto para poder conduzi-la da melhor forma.

Mas, planeio fazer coisas boas nesta moto, a sensação que dá ao piloto daquilo que me lembro em Valência e do que temos estado a ver é incrível. Vamos ver se consigo extrair o máximo do pacote”, disse.

“A equipe tem-me apoiado muito, especialmente depois do que aconteceu há um mês, tenho falado com o Gino e o Massimo, o meu crew chief tem estado a trabalhar comigo para me ajudar a perceber o pacote e extrair o melhor dele no tempo mais curto possível.

Temos estado a falar muito sobre isso, acho que estamos prontos para este desafio, vamos encarar com a energia certa e vamos ver o que acontece”, referiu.

MOTOGP, JORGE MARTÍN: “NÃO QUEREMOS ESTAR OBCECADOS COM O RESULTADO FINAL”

Jorge Martín discutiu o título de pilotos de 2023 até à última ronda e o espanhol pretende fazer melhor este ano, embora não esteja obcecado com isso.

“Vamos ser mais rápidos com estas cores, mesmo que tenhamos sido rápidos no ano passado, espero que tenhamos melhorado. A moto parece ser agressiva, espero que possamos ser agressivos na pista.

Trabalhar nos detalhes, fomos rápidos no ano passado, temos de manter a mesma velocidade.

Há detalhes em termos de mentalidade, do lado físico, da afinação, trabalhamos em todos os aspetos e é importante estar a 100% em todos eles para poder lutar pelo título, espero ter sorte para o conseguir”, disse.

Os problemas do teste não é algo que eu possa controlar, é mais para os engenheiros. Acho que vão resolver, tenho de estar focado no meu estilo de condução e em ser rápido.

Em resumo, estou confiante, foram problemas que acho que não vão acontecer na corrida, mudaram algumas partes e tudo vai correr bem.

Mas, podemos ser campeões, não queremos estar obcecados com o resultado final, temos de nos focar no processo, ir corrida a corrida e ver no final se podemos ganhar”, referiu.

Continue navegando no portal The Riders e acelere com a gente!

Acesse nossas sessões Riders CustomRiders Speed, Riders TrailRiders ElétricaRiders Cross e fique ligado nas novidades! Moto

Notícias relacionadas

MOTO2, INDONÉSIA, CORRIDA: ACOSTA SOMA A SÉTIMA VITÓRIA DO ANO E FICA MAIS LÍDER

Marcelo Nunes

Yamaha revela protótipo XSR900 DB40 no Festival de Goodwood

Marcelo Nunes

Benelli Tornado 2023: Três Desportivas, Uma Paixão

Marcelo Nunes

Deixe um comentário