The Riders Histories
Mundo Speed

NOVA HAYABUSA COM PACOTE ELETRÔNICO E MENOS POTÊNCIA

A Suzuki apresentou oficialmente a nova Hayabusa, que vinha sendo especulada desde 2019, quando a fabricante decidiu encerrar a produção da segunda geração do modelo. 

Apesar de, em linhas gerais, manter a identidade visual da primeira e segunda gerações, a nova Hayabusa recebeu atualizações para tornar o visual mais moderno. O novo conjunto óptico, todo em LED, é um exemplo disso.

Já o chassi não sofreu alterações em relação à segunda geração. Segundo a Suzuki, outros chassis foram testados durante o desenvolvimento da nova Hayabusa, mas a versão até então vigente se mostrou a mais adequada. Sendo assim, somente o subchassi foi alterado – o que permitiu a redução de peso em 700 gramas. 

Uma mudança esperada e muito abordada nos rumores que envolviam a nova Hayabusa era o aumento de cilindrada, visando a adequação às normas Euro 5 de emissão de poluentes. O que se dizia era que o propulsor poderia saltar de 1.340 cm³ para 1.440 cm³ de cilindrada. Entretanto, a Suzuki não modificou a cilindrada da nova Hayabusa, optando por fazer alterações internas para adequar o propulsor às normas Euro 5.  

O resultado é a redução na potência e no torque máximos: dos 197 cv a 9.500 giros e 15,81 kgf.m a 7.200 rpm, a nova geração chega com 190 cv a 9.700 giros e 15,3 kgf.m a 7.500 rotações por minuto. De acordo com a fabricante, porém, a nova Hayabusa entrega mais para o motociclista em regimes médios.  

Além disso, a Suzuki diz que a nova Hayabusa vai de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos, contra 3,4 segundos da geração anterior. A velocidade máxima segue limitada eletronicamente em 297,7 km/h. 

O conjunto de suspensão, totalmente ajustável na dianteira e na traseira, é da KYB e conta com garfo invertido e monoamortecedor revisados para a nova geração da sport touring. Os freios ficam por conta da Brembo, com dois discos de 320 mm e pinças Stylema – modelo topo de linha da fabricante italiana de equipamentos de frenagem. 

Uma novidade importante para a nova Hayabusa é a introdução de uma central inercial (IMU) de seis eixos. Com isso, a moto recebe uma série de recursos eletrônicos, como freios ABS atuantes em curvas, controle de tração com dez níveis de ajuste, antiwheelie com dez níveis de ajuste, quickshifter bidirecional, três níveis de controle de freio-motor, controle de largada com três modos, assistente de partida em aclives, cruise control e seis modos de pilotagem – três determinados e três customizáveis pelo motociclista, entre outros recursos. 

O painel, como já havia sido adiantado pela própria Suzuki no teaser oficial, mescla mostradores analógicos com um pequeno painel TFT ao centro, no qual o motociclista visualiza as configurações da eletrônica e confirma as mudanças nos ajustes. 

A nova Hayabusa também recebe uma série de acessórios que podem ser incluídos como opcionais, como manoplas aquecidas, malas de tanque e bolha mais alta, além de ponteiras de escape desenvolvidas pela Akrapovic.

A nova Hayabusa estará disponível em três esquemas de cores: preto com detalhes dourados, prata com detalhes vermelhos e branco com detalhes azuis. O preço nos Estados Unidos é de US$ 18.599, aproximadamente R$ 100 mil. 

Notícias relacionadas

Nova BMW S 1000 RR 2021 muda design e fica mais leve e tecnológica

The Riders

KTM INTERROMPE PRODUÇÃO NA ÁUSTRIA, DUCATI, YAMAHA E BREMBO ANUNCIAM INTERRUPÇÃO TAMBÉM DEVIDO AO CORONAVÍRUS.

The Riders

Quartararo abre vantagem na liderança da MotoGP.

The Riders